Governo corre para privatizar estatal portuária - Revista Oeste

Edição da semana

Em 27 ago 2020, 12:00

Governo corre para privatizar estatal portuária

27 ago 2020, 12:00

Modelo de desestatização da Codesa deve ficar pronto em setembro deste ano

governo

Foto: DIVULGAÇÃO/AGÊNCIA BRASIL

O projeto de desestatização das Docas do Espírito Santo (Codesa) deve ficar pronto em setembro deste ano e ir para audiência pública na sequência. É o que informou Martha Seillier, secretária especial do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), ao jornal Valor Econômico na terça-feira 25. A ideia é atrelar a privatização da estatal a um contrato de concessão do Porto de Vitória por 35 anos. Conforme ela, a desestatização do setor — atualmente só terminais são operados pela iniciativa privada, mas não a autoridade portuária na totalidade — interessa a investidores e repetirá o êxito das concessões de aeroportos. O leilão da Codesa está previsto para 2021. Além disso, o PPI pretende vender outros 30 projetos ligados à infraestrutura ainda neste ano.

Quer saber mais sobre estatais? Leia “O custo da ineficiência”, reportagem publicada na edição n° 2 de Oeste

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 Comentário

  1. Menos um elefante branco.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Vacinação sem vacina

Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê? Um negócio da China?

Alerta: pesquisas à vista!

Por que as sondagens eleitorais erram tanto, como isso distorce o processo democrático e o que se pode fazer

Supremas diferenças

Ao compararmos o STF à Suprema Corte dos Estados Unidos, o choque é violento

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma guerra civil nos EUA?

A mídia recusa-se a noticiar o que é evidente aos olhos de seus espectadores, e intelectuais argumentam que “saques e protestos violentos são vivenciados como eventos alegres e libertadores”

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês