Governo e líderes se articulam para aprovar nova Lei do Gás sem mudanças - Revista Oeste

Em 18 jul 2020, 11:15

Governo e líderes se articulam para aprovar nova Lei do Gás sem mudanças

18 jul 2020, 11:15

Texto atual pode trazer US$ 31 bilhões de investimentos anuais até 2030 ao Brasil e baratear o custo da energia elétrica. Mas há quem queira alterar a nova Lei do Gás, por considerar muito liberal e de difícil aprovação

paulo ganime - nova lei do gás

Líder do Novo na Câmara, Paulo Ganime (RJ) defender aprovar a redação sem mudanças | Foto: Novo/Divulgação

Mesmo diante das e o investimento potencial que a aprovação da nova Lei do Gás pode trazer ao Brasil, há atores políticos que trabalham para alterar o texto em tramitação na Câmara. Entre essas pessoas, segundo apurou Oeste, está o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que considera muito liberal e de difícil aprovação.

A intenção do governo e de alguns líderes partidários, contudo, é de aprovar o Projeto de Lei (PL) 6407/2013, a nova Lei do Gás, sem alterações. Uma intensa articulação se iniciou nos bastidores para apoiar o relator da matéria, deputado Laércio Oliveira (PP-SE), que, nos bastidores, defende apresentar um parecer sem mudanças.

O deputado quer manter o relatório aprovado na Comissão de Minas e Energia da Câmara, em outubro do ano passado. Para governo e lideranças, é o melhor caminho a ser percorrido para se abrir o mercado de gás natural no Brasil. O deputado Paulo Ganime (Novo-RJ), líder do partido na Casa, apoia a aprovação do texto sem alterações.

Ideal

A redação, agora em mãos de Oliveira, está madura e tecnicamente ideal, avalia Ganime. “É um texto que, inclusive, poderia ser até mais agressivo do ponto de vista liberal. Mas é uma matéria que avança muito em todos os sentidos. Não tem argumento técnico para se agredir esse texto”, analisa.

Uma mudança ao texto atenderia a interesses políticos e, principalmente, setoriais, pondera Ganime. “E não podemos deixar que isso ocorra, que os interesses de alguns empresários e governos prejudiquem uma matéria que é tão importante para o Brasil”, sustenta. Ele ressalta que não é um texto construído de última hora, por um deputado. “Todos os atores do mercado e do governo foram ouvidos na discussão na Comissão de Minas e Energia”, acrescenta.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 Comentários

  1. Já vem o Rodrigo Maia querendo atrapalhar!

    Responder
  2. Se o Botafogo não aprova, então é bom para o país a lei do gás.

    Responder
  3. Ainda teremos mais 6 meses de Nhonho na presidência da câmara. Mas vai passar.

    Responder
  4. Articulação com a parte aproveitável do centrão está dando resultado! Pra frente Brasil!

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa news

Coronavírus

Oeste Notícias