Governo quer aprovar a nova Lei do Gás - Revista Oeste

Edição da semana

Em 16 jul 2020, 16:10

Governo quer aprovar a nova Lei do Gás

16 jul 2020, 16:10

Proposta liberal de abertura do mercado de gás natural do país é a próxima reforma setorial que o governo planeja aprovar. Deputado Laércio Oliveira (PP-SE) é o nome escolhido pelo Executivo para ser o relator da Lei do Gás

Deputado Laércio Oliveira (PP-SE) é o nome escolhido pelo governo para ser o relator do texto | Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Sancionada a Lei do novo Marco Legal do Saneamento básico, o governo volta os esforços para aprovar na Câmara o Projeto de Lei (PL) 6407/2013, chamado de nova Lei do Gás. Integrantes do Executivo se reuniram nesta quinta-feira, 16, para debater o encaminhamento da matéria na Câmara.

A reunião contou com a presença de técnicos dos ministérios de Minas e Energia, da Economia e da Casa Civil. Pela liderança do governo na Câmara, participou a deputada Carla Zambelli (PSL-SP), vice-líder do Executivo. Participou, ainda, o deputado Laércio Oliveira (PP-SE), possível relator da matéria.

O governo indiciou Oliveira para a relatoria. Falta só o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) bater o martelo. A articulação governista mantém conversas com o demista para que a definição ocorra o quanto antes. Seria, na avaliação do Palácio do Planalto, um reconhecimento ao parlamentar.

O deputado do PP não é apenas um aliado do governo. Ele é o relator do PL 6407/13 na Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços (CDEICS). Como as comissões permanentes estão paralisadas em meio ao período de coronavírus, a intenção é que Oliveira assuma a relatoria quando a matéria for pautada no Plenário.

Projeto liberal

A nova Lei do Gás é uma proposta liberal que abre o mercado de gás natural do país. Na prática, o PL 6407/13 ajuda a reduzir o custo do insumo para as indústrias e contribui para o desenvolvimento econômico do país. O governo sustenta que o país devolve, hoje, cerca de 40% do gás produzido por não ter dutos suficientes para o transporte.

O anacronismo da legislação atual faz com que o Brasil importe gás de cozinha. Quando, na verdade, não há necessidade disso. O país tem uma produção suficiente para suprir toda a demanda e ainda exportar. O PL poderá, então, permitir que mais empresas concorram na infraestrutura do setor. Como consequência, ajudará a baratear o preço final.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 Comentários

  1. Aprovado, presidente Bolsonaro. Liberem para a iniciativa privada, reduza o tamanho do Estado, acabe com a roubalheira e com os cargos de aspones que não sabem nada de energia e só alimentam o propinoduto das estatais. Com a iniciativa das empresas, mais serviços, mais tecnologia, mais qualidade. PRIVATIZE TUDO, PRESIDENTE, TUDO! O Brasil do bem te apoia!

    Responder
  2. Bolsonaro 2022

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Supremas safadezas

Como os ministros do Pretório Excelso, o promotor da minha infância se julgava onipresente, onisciente e onipotente

A Suprema Corte e o abuso do poder

Quando juízes se tornam “superlegisladores”, as instituições se fragilizam e a sociedade perde a fé no sistema democrático

David Hume cancelado

Está em curso uma espécie de eugenia intelectual que conta com a simpatia ou covardia de reitores e professores de prestigiadas universidades internacionais

Vacina contra ditadura

Na ONU, Trump fez o que todo mundo com juízo deveria ter feito — e não fez, sabe-se lá por que mistério das escrituras empáticas

Alerta: pesquisas à vista!

Por que as sondagens eleitorais erram tanto, como isso distorce o processo democrático e o que se pode fazer

E chegamos à era dos ciborgues

Teremos nosso potencial mental multiplicado e nossas ações serão, literalmente, rápidas como o pensamento. O que faremos com esse novo poder?

Os intelectuais e a sociedade

Intelectuais ignoram que há mais sabedoria na população em geral do que num indivíduo qualquer, por mais inteligente que ele seja

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma guerra civil nos EUA?

A mídia recusa-se a noticiar o que é evidente aos olhos de seus espectadores, e intelectuais argumentam que “saques e protestos violentos são vivenciados como eventos alegres e libertadores”

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Revista Oeste — Edição 27 — 25/09/2020

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês