Guedes garante que, sem aumento salarial de servidores, país volta à trilha do ajuste fiscal - Revista Oeste

Edição da semana

Em 9 maio 2020, 19:00

Guedes garante que, sem aumento salarial de servidores, país volta à trilha do ajuste fiscal

9 maio 2020, 19:00

O ministro afirmou que é preciso garantir que os gastos com a Previdência, os juros da dívida e as despesas com o funcionalismo sigam controlados

Foto: Ministério da Economia

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou neste sábado, 9, que se o presidente Jair Bolsonaro vetar o reajuste salarial do funcionalismo público, o Brasil volta para a trilha do ajuste fiscal em 2021.

“Se o presidente vetar esse aumento, como disse que vai fazer, o déficit fiscal extraordinário por conta das medidas para combate à pandemia fica restrito a este ano”, garantiu Guedes, durante uma videoconferência organizada pelo Itaú BBA.

Guedes afirmou que é preciso garantir que em 2021 os gastos com a Previdência, os juros da dívida e as despesas com o funcionalismo sigam controlados. Ele observou que os dois primeiros itens – ou inimigos, como ele denominou – já estão controlados por conta da reforma da Previdência e pela mudança de política econômica.

O ministro acrescentou que acredita que existe uma consciência hoje no Brasil sobre a necessidade da sustentabilidade fiscal. “O que pedimos agora é que o funcionalismo público faça uma contribuição”, disse.

Guedes garantiu que o governo Bolsonaro não vai aumentar carga tributária. Ele enfatizou que a ideia de saída da crise econômica através de investimento público e impostos não vai acontecer. “Não será conosco”, afirmou.

Ainda voltando a destacar sua contrariedade aos aumentos salariais para o funcionalismo público, aprovados pelo Congresso Nacional, ele disse que “seria um equívoco manter o reajuste aos servidores”. “Não é um caminho razoável”.

* Com informações do Estadão Conteúdo

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 Comentários

  1. Seu sacana!!!Vc sabe q ñ te ouvem, ñ emprestam a pelota e se julgam, ainda, detentores do poder como bem falou o guerrilheiro José Dirceu.
    E agora vc pega toda o funcionalismo público e joga contra o nosso “palhaço querido”? Até SEGUNDA feira próxima, a esquerdalha q aparelha o ESTADO, vai te excomungar na CNN, Folha e rede Globo. Somado às mortes naturais, o Doria toma o PODER, com garantia do STF.
    A menos q a presença, sob vara de marmelo das 12 estrelas, nos apresente alguma esperança de “persistência”
    Lula preso.

    Responder
  2. Alguns, como o ministro Guedes se desdobram para encontrar soluções, Enqto esses políticos querem só lucrar com a desgraça alheia.

    Responder
  3. Paulo Guedes como Ministro da Economia tem obrigação de mostrar o caminho que o país deve seguir, mas o corporativismo do funcionarismo público não permitirá que se mexa nos seus privilégios.

    Responder
    • Vamos la amigo, então nada de socorro a empresario, nada de postergar dividas atrasadas para com o fisco, nada de aumento nos preços de qquer bem de consumo, vamos todos ficar congelados ai blza, remedio amargo p todos. Agora querer culpar o funcionalismo, me poupe. Primeiro não tinha dinheiro pra nada, agora apareceu sos montes p socorrer a pandemia, governadores e prefeitos. Tem algo de …. na dinanarca.

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O crime acima de todos

Não é que as instituições estejam funcionando mal, ou passando por alguma anomalia — ao contrário, elas são organizadas de maneira a tornar inevitáveis resultados como o que beneficiou André do Rap

O “cancelamento” contra a arte

Caso a sociedade se submeta a essa versão gourmetizada do stalinismo, nossos filhos e netos não terão o que ler, ouvir ou assistir

A segunda onda de hipocrisia

Em que pesem as comprovações de ineficácia dos lockdowns, enganadores como Emmanuel Macron fingem ter um mapa de bloqueio de contágio

Alerta: pesquisas à vista!

Por que as sondagens eleitorais erram tanto, como isso distorce o processo democrático e o que se pode fazer

O capitalismo pode salvar o mundo?

O sistema não é uma ideologia de laboratório, como o comunismo. É uma força viva, dinâmica, que há milênios se aperfeiçoa na satisfação das necessidades humanas

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma guerra civil nos EUA?

A mídia recusa-se a noticiar o que é evidente aos olhos de seus espectadores, e intelectuais argumentam que “saques e protestos violentos são vivenciados como eventos alegres e libertadores”

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês