Índia transforma vagões de trem em enfermarias - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 10 abr 2020, 03:45

Índia transforma vagões de trem em enfermarias

10 abr 2020, 03:45

Governo do país quer utilizar a infraestrutura da rede ferroviária do país em um aliado na luta contra o coronavírus

Trem Índia

Um trem da Indian Railways
Foto: Nikhil B/Wikimedia

A Indian Railways, uma das instituições mais conhecidas e respeitadas no país asiático, está convertendo os vagões dos seus trens em enfermarias de isolamentos para pacientes infectados com o coronavírus. Apesar da Índia ter decretado quarentena total, a pandemia não mostra sinais de recuo.

A quarentena marcou a primeira vez de 1853, quando a primeira ferrovia do país foi inaugurada pelos britânicos, que nenhum trem de passageiro circula na Índia, de acordo com o Financial Times. Usualmente, 23 milhões de passageiros utilizam os trens da Indian Railways todos os dias, mais de 12.600 viagens acontecem diariamente.

Porém, com as medidas de isolamento e as suspensões de viagens, a empresa está convertendo 5.000 vagões em enfermarias. O sistema de saúde do país, já precário, está mostrando sinais de superlotação. Com isso, o governo espera criar mais de 80 mil leitos de isolamento, que podem ser equipados, conforme a orientação médica.

Os vagões de trem ainda possuem a vantagem de serem móveis, podendo ser transportados para qualquer região do país, inclusive aquelas com infraestrutura de saúde mais precária.

“Todo país utiliza qualquer espaço público disponível para tratar os doentes. Nova York transformou o Javits Center em um hospital de campanha. A Indian Railways possui a infraestrutura que conecta todo o país, afirmou Junaid Ahmad, diretor do Banco Mundial no país.

Até o momento, a Índia possui 6.761 casos confirmados e 206 mortes confirmadas em razão do coronavírus, de acordo com dados oficiais do governo.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Um caso de amor com a tirania

Na França, é cada vez mais evidente o namoro com o autoritarismo sob o disfarce da racionalidade, da competência administrativa, do bem comum, da justiça social

A obsessão da imprensa por Donald Trump

Com o único propósito de ser anti-Trump, a mídia não saberá o que fazer se não puder culpar o bufão laranja por todo o mal que eventualmente venha a acontecer

O Guevara da Daslu

Faça como Doria. Pare diante do espelho, fale meia dúzia de clichês do humanismo de butique e note que você também tem um corpinho de centro-esquerda

A China e a fábula dos pardais

Enquanto o discurso ambientalista foca a Amazônia e as mudanças climáticas, a China segue com suas práticas predatórias e não assume responsabilidades

O gênio e o mito

Maradona não deveria ser uma referência moral para ninguém. Mas é um equívoco não homenageá-lo por seu futebol-arte

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

É o “mecanismo”

É o “mecanismo”

A 3ª maior doadora da campanha paulistana do PSOL é uma herdeira da empreiteira de obras públicas Andrade Gutierrez...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês