-Publicidade-

Após receber críticas, WhatsApp adia mudanças nos termos de privacidade

Empresa deve lançar nova política em 15 de maio
Foto: Divulgação/Flickr
Foto: Divulgação/Flickr | Foto: Divulgação/Flickr

Empresa deve lançar nova política em 15 de maio

whatsapp
Foto: Divulgação/Flickr

O WhatsApp anunciou na sexta-feira 15 que vai adiar em três meses a entrada em vigor da sua nova política de privacidade. O ponto mais controverso da mudança é a obrigatoriedade do compartilhamento de dados dos usuários com o Facebook. A atualização nos termos de uso estava prevista para valer a partir do dia 8 de fevereiro.

A alteração na data ocorre após a polêmica envolvendo a suspensão da conta do presidente norte-americano Donald Trump no Twitter, medida que foi seguida por outras plataformas, como Facebook e Instagram. Após o anúncio do WhatsApp, que pertence ao Facebook desde 2004, muitos usuários passaram a instalar aplicativos rivais como o Signal e o Telegram, conhecidos pelo maior cuidado com a privacidade. Diante das críticas e da ameaça da concorrência, a empresa adiou o lançamento da nova política para 15 de maio.

Leia mais: “WhatsApp chegará a 2021 dando adeus a alguns celulares”

De acordo com a nota divulgada no blog oficial do WhatsApp, “ninguém terá a conta suspensa ou excluída em 8 de fevereiro”, se referindo à exigência de concordar com os termos para continuar a usar o aplicativo. A empresa havia dito que quem discordasse não poderia mais continuar na plataforma a partir dessa data.

 

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês