'Interpretação mirabolante', diz juíza sobre inquérito das 'fake news'

Edição da semana

Em 8 set 2020, 21:43

Inquérito das ‘fake news’ é fruto de ‘interpretação mirabolante do STF’, afirma juíza

8 set 2020, 21:43

Investigação criada pelo Supremo é criticada por mais uma autoridade

alexandre de moraes - stf - inquérito das fake news - interpretação mirabolante

Alexandre de Moraes é o relator do inquérito das fake news. De acordo com juíza, Supremo erra ao validar investigação | Foto: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

O inquérito das fake news recebeu crítica de mais uma autoridade na noite desta terça-feira, 8. A juíza Ludmila Lins Grilo, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG), tornou público o seu entendimento sobre o caso protagonizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Leia mais: “STF livra Romero Jucá e Valdir Raupp da Lava Jato”

De acordo com a magistrada, a maioria da Corte foi responsável por “interpretação mirabolante” para validar o criticado inquérito. Nesse sentido, a magistrada atentou para o fato de os ministros entenderem que as dependências do STF vão para além do prédio que funciona como sede física do tribunal, em Brasília.

“Deram uma interpretação mirabolante para estender as dependências físicas do STF”

“O que é uma dependência do Supremo Tribunal Federal? É o seu prédio, suas instalações físicas”, afirmou a juíza. “Deram uma interpretação mirabolante para estender as dependências físicas do STF a todo o território nacional”, ironizou a integrante do TJ-MG.

Vítima e juiz

“Não se pode ser vítima e juiz ao mesmo tempo”, pontuou Ludmila Lins Grilo em entrevista ao programa Os Pingos nos Is (Jovem Pan), que na edição de hoje contou com a participação de Ana Paula Henkel e Guilherme Fiuza, colunistas da Revista Oeste. “Qualquer estudante do primeiro período de direito penal sabe disso”, prosseguiu a juíza em relação ao fato de o STF funcionar como vítima e julgador no inquérito das fake news.

Mais: “Cármen Lúcia e a Amazônia”

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

8 Comentários

  1. Este é o pior STF de todos os tempos.

    Responder
  2. Cuidado Doutora Ludmila. Daqui a pouco esses malucos vão querer acusar a Sra. de “semear o ódio”

    Responder
  3. Nunca vi um STF produzir tanta cousa negativa, dssprotegendo a constituição e agindo contra a lei pois jamais poderia ser vítima e julgador. Junte a isso a proteção que dá aos réus e investigados politicos. Basta ver os benefícios a Lula, Dirceu, Juca, raup e tantos outros. Sempre enfraquecendo a lava jato. Péssimo STF.

    Responder
  4. Algo monstruoso, teratológico, como se costuma afirmar nos meios jurídicos. E não estou falando apenas do malfadado inquérito. O próprio STF é assim, recheado de figuras desavergonhadas. Um monstrengo desajeitado e completamente sem noção.
    Pobre Brasil!

    Responder
  5. STF dos onze “sinistros”, que devem ser demitidos daquela Casa. E a sociedade deve ter memória, para não esquecer tudo de deletério que eles já fizeram.

    Responder
  6. Em meus 74 anos de vida, nunca vi uma suprema corte tão destrambelhada, como essa. São onze ilhas de total ineficiência, em que cada um interpreta a Constituição a seu bel prazer. A lei, ali, inexiste. A lei, ali, são eles. Pobre Brasil!

    Responder
  7. Pobre Brasil mesmo Barros. Ineficiência sim! Mas para os juízes $$$$, eficiência do Dias Toffoli do CNJ.

    Responder
  8. Hi there, yes this article is genuinely pleasant
    and I have learned lot of things from it about blogging.
    thanks.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O crime acima de todos

Não é que as instituições estejam funcionando mal, ou passando por alguma anomalia — ao contrário, elas são organizadas de maneira a tornar inevitáveis resultados como o que beneficiou André do Rap

O “cancelamento” contra a arte

Caso a sociedade se submeta a essa versão gourmetizada do stalinismo, nossos filhos e netos não terão o que ler, ouvir ou assistir

A segunda onda de hipocrisia

Em que pesem as comprovações de ineficácia dos lockdowns, enganadores como Emmanuel Macron fingem ter um mapa de bloqueio de contágio

Alerta: pesquisas à vista!

Por que as sondagens eleitorais erram tanto, como isso distorce o processo democrático e o que se pode fazer

O capitalismo pode salvar o mundo?

O sistema não é uma ideologia de laboratório, como o comunismo. É uma força viva, dinâmica, que há milênios se aperfeiçoa na satisfação das necessidades humanas

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma guerra civil nos EUA?

A mídia recusa-se a noticiar o que é evidente aos olhos de seus espectadores, e intelectuais argumentam que “saques e protestos violentos são vivenciados como eventos alegres e libertadores”

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês