Irã acusa Israel por morte de principal cientista nuclear do país

Edição da semana

Em Em 27 nov 2020, 17:31

Irã acusa Israel por morte de principal cientista nuclear do país

27 nov 2020, 17:31

Gabinete do primeiro-ministro de Israel não quis comentar

Javad Zarif

Ministro das Relações Exteriores do Irã, Javad Zarif | Reprodução/Internet

O Irã acusou Israel de “desempenhar um papel” no assassinato do principal cientista nuclear do país, Mohsen Fakhrizadeh, e advertiu que uma “terrível vingança” aguardava os envolvidos no que Teerã chamou de “ato terrorista”.

O ministro das Relações Exteriores iraniano, Javad Zarif, pediu que a União Europeia e a comunidade internacional condenem a morte.

Leia mais: “A obsessão da imprensa por Donald Trump”, artigo desta semana da Revista Oeste

“Terroristas hoje assassinaram um preeminente cientista iraniano. Essa covardia — com sérios indícios do papel de Israel — mostra a guerra desesperada de seus executores”, tuitou Zarif.

De acordo com a mídia estatal do país, Fakhrizadeh foi alvejado por tiros enquanto viajava em um carro nos arredores de Teerã. Ele foi levado ao hospital, mas não sobreviveu aos ferimentos.

Em 2008, os Estados Unidos deram sinais de que o cientista estava realizando “atividades e transações que contribuíam para o desenvolvimento do programa nuclear do Irã”.

Em 2018, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, acusou Fakhrizadeh de ser parte de uma missão secreta para adquirir armas nucleares. O gabinete do primeiro-ministro não quis comentar o assassinato.

Com informações da RFI

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 Comentários

  1. Caramba, sou muito fã do estado de Israel, eles eliminam o mal pela raiz. Não deixam o inimigo à vontade nunca. Não é atoa que o Islã treme ao se falar de Israel.

    Responder
  2. Que tal pedir ao Netanyahu para secretamente enviar alguns do seus agentes para o Brasil? Tá certo que não seria só um, a lista é enorme. Mas eis aqui alguns candidatos (quem concordar é só dizer Amén): Lula, Dilma, Doria, Boulos, Manoela, Dino, Jacques Wagner, Pimentel, Camilo, Ciro, Freixo, Witzel, Edinho, Bidita, Rui Costa,FHC, Aécio, Nhonho/Botafogo, Batoré, Gleisi, Humberto Costa, Molon…. melhor parar por aqui, já tá tarde, vou dormir.

    Responder
  3. Puxa, como posso ter esquecido? Faltou mencionar o Renan e os 11 da pocilga, né?

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O partido contra o Brasil

Ninguém ainda descobriu no planeta um jeito tão eficaz de concentrar renda quanto a fórmula usada para administrar as contas públicas no país

A paciência acabou

Os brasileiros começam a reagir à cassação dos direitos individuais

Os novos senhores do mundo

Os gigantes da tecnologia censuram Trump, fazem o que bem entendem e exercem um poder global desmedido. Isso é justo?

Eficácia

“Você demorou muito a comprar. Eficácia depende de rapidez” / “Poxa… Se eu soubesse teria comprado mais rápido. Ando muito dispersivo”

O culto à ignorância

Valorizar a educação formal e a cultura clássica virou preconceito elitista, um mau sinal para o futuro

Como surgiu o novo coronavírus?

A resposta mais provável, até o momento: o vírus teve origem em pesquisas com manipulação genética no Instituto de Virologia de Wuhan

Globalistas assanhados com Biden

Eles não costumam viver de fatos, apenas de narrativas. Adotam a visão estética de mundo, e por isso a ONU é seu maior símbolo

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês