Isenção do IR deve chegar a R$ 3 mil - Revista Oeste

Edição da semana

Em 28 set 2020, 17:54

Isenção do IR deve chegar a R$ 3 mil

28 set 2020, 17:54

De acordo com o governo, a correção da tabela do imposto de renda será incluída na segunda fase da reforma tributária

IMPOSTO DE RENDA 201,Declaração IRPF

A medida beneficiaria 14 milhões de trabalhadores | Foto: Marcello Casa Jr/Agência Brasil

O governo pretende encaminhar ao Congresso até o final desta semana a segunda parte da reforma tributária. Entre outros pontos, o projeto deverá trazer mudanças no imposto de renda cobrado de pessoas físicas.

De acordo com o líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), a intenção é aumentar a faixa de isenção do IR de R$ 1.903,98 para R$ 3 mil. Ou seja, uma correção de 57,6%.

“Hoje, quem ganha mais de R$ 1.900 [1.903,98] paga IR. O presidente Bolsonaro quer levar isso para R$ 3 mil. Então, todos que ganham até R$ 3 mil não vão mais pagar imposto de renda”, adiantou o líder. Nas previsões do governo, a medida beneficiaria 14 milhões de trabalhadores.

O Ministério da Economia estudava reduzir a alíquota máxima de 27,5% para algo entre 23% a 25% e criar uma alíquota extra para taxar quem ganha salários acima de R$ 35 mil por mês. Também estava em estudo o fim das deduções de despesas médicas, já que os técnicos da pasta alegam que essas deduções beneficiam a camada mais abastada da população.

 

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Vacinação sem vacina

Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê? Um negócio da China?

Supremas diferenças

Ao compararmos o STF à Suprema Corte dos Estados Unidos, o choque é violento

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

Ciência, que é bom, nada

Ciência, que é bom, nada

"Desde o começo da epidemia a discussão vem sendo assim: política em primeiro lugar", afirma J.R. Guzzo...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês