Israel, Emirados Árabes e Bahrein assinam acordos históricos

Edição da semana

Em 15 set 2020, 16:30

Israel, Emirados Árabes e Bahrein assinam acordos históricos

15 set 2020, 16:30

Os dois países do Golfo Pérsico são de maioria muçulmana e, até então, eram inimigos do Estado israelense

Trump

Presidente dos Estados Unidos e representantes de Israel, Emirados Árabes e Bahrein
Foto: Reprodução/Casa Branca

Israel, Emirados Árabes Unidos e Bahrein assinaram nesta terça-feira, 15, acordos de normalização das relações.

O ato histórico ocorreu na Casa Branca e contou com a articulação do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que disputa a reeleição em novembro.

Leia mais: “‘Farc do Paraguai’ expande ações e pressiona governo”

Os dois países do Golfo Pérsico são de maioria muçulmana e, até então, eram inimigos do Estado israelense.

“Esses acordos marcam o amanhecer de um novo Oriente Médio”, afirmou Trump durante a cerimônia, que contou com a presença do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu.

O estabelecimento de relações também visa a reequilibrar as forças no Oriente Médio. Emirados Árabes e Bahrein se contrapõem ao regime iraniano, que também é o inimigo número 1 dos EUA na região.

Além de Trump e Netanyahu, estiveram presentes o ministro das Relações Exteriores dos Emirados Árabes, xeique Abdullah bin Zayed al-Nahyan, e o ministro de Relações Exteriores do Bahrein, Abdullatif Al Zayani.

 

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Vacinação sem vacina

Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê? Um negócio da China?

Supremas diferenças

Ao compararmos o STF à Suprema Corte dos Estados Unidos, o choque é violento

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

Ciência, que é bom, nada

Ciência, que é bom, nada

"Desde o começo da epidemia a discussão vem sendo assim: política em primeiro lugar", afirma J.R. Guzzo...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês