ABC Paulista tem reabertura econômica vetada pela Justiça

Edição da semana

Em Em 8 jun 2020, 14:25

Justiça impede reabertura em duas cidades do ABC paulista

8 jun 2020, 14:25

Poder Judiciário passa por cima das decisões das prefeituras de São Bernardo do Campo e Diadema

abc paulista - são bernardo do campo - diadema - justiça - reabertura econômica - doria

São Bernardo do Campo é a maior cidade do ABC paulista | Foto: DIVULGAÇÃO/PMSBDC

Depois de acompanharem o governador João Doria classificar a região de “alerta vermelho”, dois prefeitos do ABC paulista começam a semana tendo de lidar com decisões vindas do Poder Judiciário. O planejamento de dar início à retomada de atividades econômicas terá de ser repensado por Orlando Morando (São Bernardo do Campo) e Lauro Michels (Diadema). Afinal, a dupla anunciou a reabertura em suas cidades. Mas a Justiça vetou tal decisão.

Leia mais: “Bolsonaro reacende debate sobre reabertura da economia”

Nos últimos dias, Morando e Michels publicaram decretos autorizando a reabertura de escritórios, concessionárias e revendedoras de carros. As decisões começariam a valer nesta segunda-feira, 8 de junho, mas isso não ocorrerá mais. Tudo porque a juíza Tatiana Magoso atendeu a pedidos feitos por integrantes do Ministério Público. À Justiça, eles argumentaram que as cidades do ABC paulista estariam contrariando parecer do governo estadual — conforme registrado mais cedo por Oeste no caso de SBC.

“Municípios não podem impor medidas menos restritivas”

Em seu parecer, a juíza avaliou que o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo embasa o seu entendimento. “[O TJSP] confirmou que municípios não podem impor medidas menos restritivas de combate à pandemia [que as determinadas pelo Estado], devendo prevalecer, em detrimento da norma municipal, a norma estadual de competência estadual”. Dessa forma, ao menos para a magistrada, o ABC paulista deve aceitar conviver com o confinamento imposto há meses por Doria.

Fora a imposição para que Diadema e São Bernardo do Campo sigam as decisões do governo estadual, a juíza ainda avisou: caso a decisão seja descumprida, haverá multa diária de R$ 10 mil.

Decisão criticada

A decisão da juíza Tatiana Magoso não foi prontamente aceita por São Bernardo do Campo. Em nota, a prefeitura indicou que fará com que o caso ganhe novos capítulos no Poder Judiciário. “[Vamos] entrar com embargo de declaração, visando a anular a tutela antecipada e entendendo que existe uma ingerência indevida do decreto estadual sobre o decreto municipal”, posiciona-se o município, de acordo com o conteúdo divulgado à imprensa no fim da manhã de hoje.

[Temos] leitos e condições sanitárias que garantem o retorno das atividades”

“Como a decisão foi tomada de maneira colegiada entre os sete prefeitos, já existe conflito entre as próprias cidades, entre elas uma já foi negada e ainda conflito direto com a capital, que está funcionando. A prefeitura informa que tem leitos e condições sanitárias que garantem o retorno das atividades econômicas, que é a prioridade do município”, prossegue, assim, a prefeitura de São Bernardo do Campo. O conteúdo da cidade do ABC enfatiza, desse modo, que a cidade de São Paulo tem liberação para reabrir seu comércio. A saber, a capital paulista é a que contabiliza mais óbitos em decorrência da covid-19 no Brasil.

ABC paulista contra Doria

A decisão judicial que veta a reabertura do comércio em Diadema e São Bernardo do Campo atinge parte da região que há duas semanas se colocou em bloco contra a liderança de João Doria no combate à covid-19. Por meio do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, os sete prefeitos criticaram a postura do governador, que chegou a tirar o ABC paulista do chamado “alerta vermelho”, mas não se empolgou com a possibilidade de reabertura a curto prazo das cidades.

Embora integrando o mesmo PSDB de Doria, Orlando Morando foi o mais enfático prefeito da região contra a “quarentena inteligente” propagada pelo governador. Em vídeo, o mandatário de São Bernardo do Campo usou palavras como “injustiça” e garantiu, contudo, que era aliado de partido, não um “alienado”.

Justiça contra prefeitos

As duas cidades do ABC paulista não são as únicas a ter a retomada econômica barrada pelo Poder Judiciário. No decorrer das últimas semanas, Duque de Caxias e Armação dos Búzios, ambas no Estado do Rio de Janeiro, tiveram a reabertura barrada por ordens judiciais. Anteriormente, o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), já havia proibido que Osasco (SP) reabrisse parte de seu comércio.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Um caso de amor com a tirania

Na França, é cada vez mais evidente o namoro com o autoritarismo sob o disfarce da racionalidade, da competência administrativa, do bem comum, da justiça social

A obsessão da imprensa por Donald Trump

Com o único propósito de ser anti-Trump, a mídia não saberá o que fazer se não puder culpar o bufão laranja por todo o mal que eventualmente venha a acontecer

O Guevara da Daslu

Faça como Doria. Pare diante do espelho, fale meia dúzia de clichês do humanismo de butique e note que você também tem um corpinho de centro-esquerda

A China e a fábula dos pardais

Enquanto o discurso ambientalista foca a Amazônia e as mudanças climáticas, a China segue com suas práticas predatórias e não assume responsabilidades

O gênio e o mito

Maradona não deveria ser uma referência moral para ninguém. Mas é um equívoco não homenageá-lo por seu futebol-arte

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

O que é o projeto BR do Mar?

O que é o projeto BR do Mar?

Texto tramita em regime de urgência na Câmara dos Deputados e pode ser votado a qualquer momento no plenário...
É o “mecanismo”

É o “mecanismo”

A 3ª maior doadora da campanha paulistana do PSOL é uma herdeira da empreiteira de obras públicas Andrade Gutierrez...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês