Justiça suspende reabertura em cidade que desafiou Doria - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 8 jun 2020, 12:05

Justiça suspende reabertura em cidade que desafiou Doria

8 jun 2020, 12:05

Se a prefeitura de São Bernardo do Campo, na região do ABC, descumprir a decisão, terá de pagar R$ 10 mil por dia

justiça

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB) Foto: ROVENA ROSA/AGÊNCIA BRASIL

A Justiça de São Paulo barrou nesta segunda-feira, 8, a reabertura de concessionárias, escritórios e revendedoras de veículos em São Bernardo do Campo, na região do ABC. A juíza Tatiana Magoso acolheu um pedido do Ministério Público. O órgão alega que a cidade contraria o Estado.

Caso descumpra a decisão, a prefeitura terá de pagar R$ 10 mil por dia. Porém, cabe recurso.

Leia mais: As confusões nas estatísticas de São Paulo

São Bernardo está na fase laranja do processo de retomada das atividades comerciais no Estado. Em síntese, de acordo com a “quarentena inteligente” do governador João Doria (PSDB), o município não poderia abrir as chamadas atividades não essenciais.

Contudo, o prefeito da cidade, Orlando Morando (PSDB), discorda da decisão da Justiça. Na semana passada, ele peitou o governador, ao programar para esta semana a reabertura dos setores mencionados anteriormente na reportagem. Mas teve os planos frustrados.

Governador isolado

Ao longo da última semana, João Doria foi alvo de críticas de ao menos três prefeitos espalhados pelo interior paulista. Além disso, tornou-se alvo de ações lideradas pelo movimento que representa o Grande ABC, região que conta com quatro mandatários tucanos.

Todas as críticas recentes vindas de prefeitos do PSDB a Doria têm a ver com o confinamento implementado em todo o Estado desde 24 de março. Recentemente, cidades do interior tinham de seguir as mesmas restrições impostas à capital paulista.

Sem terem a real noção de como funcionaria a tal “quarentena inteligente”, os tucanos Clodoaldo Gazzetta (Bauru) e Dilador Borges (Araçatuba) fizeram questão de registrar seus descontentamentos com Doria.

“Temos apreensão pela falta de trabalho, algumas empresas não aguentam mais”, desabafou o prefeito araçatubense.

Leia mais: Prefeito de Mirandópolis fala a Oeste

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 Comentário

  1. um juizinho mequetrefe, de uma cidade mequetrefe qualquer , pode através de uma liminar, mandar mais que um presidente da republica, nao existe e nem nunca existiu equilibrio entre os poderes, justiça sempre mandou mais, problema que agora, temos militância politica judicial, e agora? O que diz nossa Sabia Constituicao Federal para esse caso?

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês