-Publicidade-

MPF abre investigação após traficante ser solto com alvará falso

Condenado a 27 anos de prisão, João Filipe Barbieri deixou a penitenciária de Bangu, na Zona Oeste do Rio, em novembro de 2020
O traficante João Filipe Barbieri tinha sido preso em 2017, mas escapou em 2020
O traficante João Filipe Barbieri tinha sido preso em 2017, mas escapou em 2020 | Foto: Reprodução/Mídias Sociais

O Ministério Público Federal (MPF), por meio do Núcleo de Controle Externo da Atividade Policial, instaurou ontem, quinta-feira 11, um inquérito para apurar a saída do traficante João Filipe Barbieri da penitenciária de Bangu, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, após a defesa apresentar um alvará de soltura falso. O homem é enteado de Frederik Barbieri, conhecido como “Senhor das Armas”, preso nos Estados Unidos por tráfico internacional de armas. De acordo com o MPF, em caráter de urgência, foram expedidos ofícios à Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) em que se pede o envio de todas as informações relativas ao caso, o que inclui o documento falso. O desembargador Marcello Granado, relator do processo de Barbieri na Justiça Federal, também foi notificado. Imagens de câmeras de segurança flagraram o momento em que o criminoso deixou a cadeia em novembro do ano passado. Ele foi condenado a 27 anos de prisão por tráfico internacional de armas e associação ao tráfico de drogas e cumpriu apenas três anos da pena. O suposto documento teria sido expedido pela 8ª Vara Federal Criminal, mas a Justiça Federal afirmou que o alvará é falso, pois não foi emitida nenhuma decisão favorável ao condenado. Além de Barbieri, outro preso conseguiu sair da penitenciária apresentando um suposto alvará de soltura.

Leia também: “Em nova fase da Lava Jato, PF bloqueia R$ 5,2 mi de suspeito”

Com informações do R7

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 comentários

  1. Em plena era da informática, quando a digitalização processual já é regra, ninguém viu nada??? Ninguém teve a curiosidade de consultar o sistema??? Até a velhinha de Taubaté está incrédula!!!

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês