-Publicidade-

Procuradores se manifestam contra ‘ofensas’ de Augusto Aras

Entidade que representa a classe critica postura adotada pelo procurador-geral da República
Augusto Aras recebe críticas de entidade que representa procuradores | Foto: PEDRO FRANÇA/AGÊNCIA SENADO
Augusto Aras recebe críticas de entidade que representa procuradores | Foto: PEDRO FRANÇA/AGÊNCIA SENADO | augusto aras X procuradores

Entidade que representa a classe critica postura adotada pelo procurador-geral da República

augusto aras X procuradores
Augusto Aras recebe críticas de entidade que representa procuradores | Foto: PEDRO FRANÇA/AGÊNCIA SENADO

Chefe do Ministério Público Federal, mas sem apoio de subordinados. Assim pode ser definido o atual momento enfrentado por Augusto Aras. Após discutir com conselheiros em sessão virtual realizada na sexta-feira, 31, o procurador-geral da República foi criticado diretamente por instituição que representa a classe.

Leia mais: “Aras fala em ‘corrigir os rumos do lava-jatismo’

Em nota, a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) classificou como “ofensas” os dizeres de Aras durante encontro do Conselho Superior do MPF. O titular da Procuradoria-Geral da República (PGR) voltou a criticar a operação Lava Jato. Além disso, acusou o procurador Nicola Dino de tentar usar a sessão como “palco político”.

“As falas registradas no início da noite desta sexta-feira são inaceitáveis”

“O respeito ao MPF e a manutenção do decoro em seu órgão máximo, o Conselho Superior, devem ser observados por todos os membros da instituição e, principalmente, o PGR. Exatamente por isso, as falas registradas no início da noite desta sexta-feira são inaceitáveis”, diz trecho da nota divulgada pela ANPR.

Semana anti-Lava Jato

O episódio durante a sessão do Conselho Superior do MPF foi apenas mais um em que, ao longo da semana, Augusto Aras disparou críticas à Lava Jato. Durante audiência realizada com senadores na quarta-feira, 29, ele sugeriu que integrantes da força-tarefa buscavam fama de “heróis”.

Nesse sentido, o procurador-geral da República acusou a operação de cometer excessos. Conforme noticiado por Oeste, a fala de Aras expôs que a Lava Jato não é unanimidade dentro do Ministério Público Federal, sofrendo oposição dentro do próprio órgão — o que foi reforçado com os desdobramentos da sessão realizada na sexta para discutir atividades do Conselho Superior do MPF.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês