-Publicidade-

Operação ‘Tie-Break’: senadora Leila é alvo da Polícia Civil do DF

Instituto idealizado pela parlamentar, que é ex-jogadora de vôlei, entrou na mira de policiais
A senadora Leila Barros
A senadora Leila Barros | Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

O projeto idealizado e mantido pela senadora Leila Barros (PSB-DF) entrou na mira da Polícia Civil do Distrito Federal. O Instituição Amigos do Vôlei acabou alvo de mandado de busca e apreensão da Operação Tie-Break, deflagrada na última terça-feira, 2.

Leia mais: “PTB protocola pedido de impeachment contra Alexandre de Moraes”

De acordo com a Divisão de Repressão à Corrupção do Departamento de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado da Polícia Civil do Distrito Federal, a entidade criada pela parlamentar, que foi atleta da modalidade, pode ter cometido irregularidades ao prestar serviços para o Centro Olímpico na cidade-satélite de Santa Maria. Segundo os investidores, o problema chegou à casa dos milhões de reais.

“Ao longo da investigação foram identificados diversos indícios que demonstraram o direcionamento da contratação do IAV e também que do valor total do contrato (R$ 9.952.055,14), o montante de aproximadamente R$ 3 milhões não contava com comprovação de gasto. Apurou-se, ainda, a presença de indícios de superfaturamento”, afirma a Polícia Civil do DF em comunicado divulgado em seu site.

A deflagração da Tie-Break, que faz alusão ao quinto e último set de uma partida de vôlei, contou com o cumprimento de mandados de busca e apreensão em residências e sedes de empresas localizadas em três regiões administrativas do Distrito Federal: Águas Claras, Ceilândia e Taguatinga. Até o momento, as autoridades não divulgaram quais itens foram apreendidos.

Defesa da senadora

Um dia após a Operação Tie-Break ir às ruas, Leila Barros se pronunciou. Por meio do Twitter, a senadora alegou acompanhar a ação com “atenção”. “Defendo que os fatos sejam esclarecidos o mais rapidamente possível”, afirmou a congressistas. “Tanto na vida pública, quanto na vida pessoal ou nos anos que me dediquei ao esporte, sempre me pautei nos princípios da legalidade, moralidade e da ética”, prosseguiu a política e ex-jogadora de vôlei.

Envolvido na operação da Polícia Civil, o Instituição Amigos do Vôlei adotou posicionamento similar ao da senadora do PSB, informa o site do Jornal de Brasília. “[Somos] o maior interessado em comprovar que não há débitos com o Distrito Federal e que não houve má fé dos gestores que dedicaram-se a promover a inclusão social por meio do esporte”, afirma a entidade, que alega estar colaborando com as autoridades responsáveis pela investigação.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês