-Publicidade-

Defesa de Sara Winter entra com notícia-crime contra Alexandre de Moraes

Segundo advogado da ativista do grupo bolsonarista '300 pelo Brasil', ministro do STF cometeu abuso de autoridade.
Defesa de Sara Winter entra com notícia-crime contra Alexandre de Moraes | Foto: Reprodução
Defesa de Sara Winter entra com notícia-crime contra Alexandre de Moraes | Foto: Reprodução | sara winter, alexandre de moraes, stf, prisão, notícia-crime

Segundo advogado da ativista do grupo bolsonarista ‘300 pelo Brasil’, ministro do STF cometeu abuso de autoridade

sara winter, alexandre de moraes, stf, prisão, notícia-crime
Defesa de Sara Winter entra com notícia-crime contra Alexandre de Moraes | Foto: Reprodução

O advogado da ativista do grupo bolsonarista 300 pelo Brasil Sara Winter, Paulo César de Faria, entrará com notícia-crime contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.

Em junho, Sara foi presa supostamente por desacato à autoridade e por infringir a Lei de Segurança Nacional. Contudo, ela já havia sido alvo de operação da Polícia Federal que investiga supostas fake news contra o STF.

Faria afirma que Moraes cometeu abuso de autoridade ao negar acesso aos autos dos inquéritos da investigação e dos chamados atos antidemocráticos.

Assim, o ministro deverá ser enquadrado na Lei do Abuso de Autoridade, no artigo que dá como crime negar acesso à integra de processo de investigação.

Luiz Roberto Barros será o relator da ação, segundo informações do site Conexão Política.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

6 comentários

  1. Não vai adiantar muita coisa, mas marca posição. O STF é muito corporativista. Lá um ministro totalmente envolvido com um réu não se diz impedido e fica por isso mesmo. Ou seja, zero ética.

  2. Infelizmente é o único caminho a tomar, embora saibamos que dificilmente algum integrante do atual STF, demonstre humildade para reconhecer seus atropelos ao estaiamento jurídico do país.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês