-Publicidade-

Marco Aurélio Mello sai em defesa de Bolsonaro

"Deixem ele trabalhar", afirmou o ministro do Supremo Tribunal Federal
O ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello | Foto: FÁBIO RODRIGUES POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL
O ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello | Foto: FÁBIO RODRIGUES POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL | O ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello | Foto: FÁBIO RODRIGUES POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL

“Deixem ele trabalhar”, afirmou o ministro do Supremo Tribunal Federal

marco aurélio mello
O ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello | Foto: FÁBIO RODRIGUES POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello discordou da posição de seu colega de toga Luís Roberto Barroso e saiu em defesa de Jair Bolsonaro. “O presidente foi eleito com 57 milhões de votos. É o presidente de todos os brasileiros. O passado dele, o que ele disse na tribuna da Câmara, não se confunde com a atuação como chefe do Executivo. A meu ver, ele vem atuando como se deve atuar, deixando inclusive os ministros auxiliares trabalharem. Temos que aguardar e ver com bons olhos a direção do país”, afirmou Mello em entrevista à rádio Bandeirantes.

Leia também: “Marco Aurélio Mello ironiza Alexandre de Moraes”

Além disso, Mello ressaltou que um eventual processo de impeachment contra o presidente não seria bom para o país. “Isso não é o melhor para o Brasil. Toda vez que se tira do cargo um presidente da República a repercussão internacional é a pior possível. Temos que administrar; havendo algum desvio, apurar e punir quem deva ser punido. Mas é preciso deixar o presidente trabalhar”, observou, ao mencionar que a troca no comando do STF por Luiz Fux “irá apaziguar os poderes”. A fala de Mello veio depois de Barroso afirmar que o presidente Jair Bolsonaro apoia a ditadura e a tortura.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 comentários

  1. Como ele mesmo disse, vamos valorizar o presente e ele está sendo o único a manifestar -se publicamente defendendo, não ao Bolsonaro, mas a democracia … que nível que chegaram os ministros do STF

  2. Não é possível que dos 11 não um mais sensato.
    Um rebanho de comunista, não deveria está aqui no Brasil, eram para está em Cuba ou na Venezuela, pois se falassem uma asneira dessa ia para o paredão.
    Como Fidel, fez com muitos mais lá há democracia assim falam os lacradores.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês