-Publicidade-

Lula sofre mais uma derrota na Justiça

STJ rejeita recurso da defesa do ex-presidente contra Sergio Moro
O ex-presidente Lula
O ex-presidente Lula | Foto: Fotos Públicas

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva acaba de sofrer mais um revés perante o Poder Judiciário. A defesa do petista no processo envolvendo a condenação no caso de um tríplex no Guarujá (SP) teve recurso negado nesta terça-feira, 2, pela Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Leia mais: “STF retira sigilo das conversas entre Moro e Dallagnol”

A decisão da vez envolvia o ex-juiz federal e ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro. Os advogados de Lula contestaram a não inserção no processo da troca de mensagens entre Moro, o procurador Deltan Dallagnol e outros procuradores atuantes na Operação Lava Jato. O conteúdo em questão é fruto de criminosos cibernéticos, que roubaram informações de celulares de autoridades e as repassaram para um blog então controlado pelo companheiro de um deputado federal do Psol.

Relator do recurso registrado pelos advogados do ex-presidente na Quinta Turma do STJ, o ministro Félix Fischer criticou a movimentação. De acordo com o magistrado, Lula tenta julgar novamente um caso já analisado e rejeitado pelo tribunal. O entendimento de Fischer foi acompanhado pelos outros integrantes da Turma, informa o portal G1. Ou seja: Lula foi derrotado por unanimidade.

Caso do tríplex

Em julho de 2017, o então juiz Sergio Moro condenou Lula no caso do tríplex do Guarujá. De acordo com o magistrado, o ex-presidente era o dono oculto do imóvel localizado no município do litoral paulista. Após ter a condenação confirmada em segunda instância, o petista chegou a permanecer por mais de um ano detido na sede da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR).

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

  1. A bandidagem continuará ativa, tentando desesperadamente proteger os seus e reverter o quadro político pós eleições de 2018, enquanto no STF tivermos seus cúmplices atuando livremente.
    A PEC da Bengala é urgente, tal como estabelecer novas normas para acesso a Suprema Corte, regras novas de impeachment de Ministros e término de suas vitaliciedades!

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês