Kim teria forjado a própria morte para testar a fidelidade do seu círculo íntimo - Revista Oeste

Edição da semana

Em 7 maio 2020, 16:05

Kim teria forjado a própria morte para testar a fidelidade do seu círculo íntimo

7 maio 2020, 16:05

Ditador da Coreia do Norte teria usado uma “clássica manobra estalinista”, de acordo com uma televisão australiana

Ditador Coreia do Norte

Foto: KCNA

O ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, teria forjado a própria morte com o objetivo de expor traidores do seu círculo íntimo, que almejariam assumir o poder do país governado pela família de Kim desde 1948.

O líder desapareceu da televisão estatal norte-coreana por três semanas, alimentados rumores que estaria gravemente doente, ou mesmo morto. Ele reapareceu no sábado, quando foram divulgadas imagens de Kim visitando uma fábrica.

De acordo com canal australiano Sky News, “em uma clássica manobra estalinista”, o ditador forjou a própria morte para punir aqueles que não demonstraram a fidelidade esperada e para verificar a reação nacional e mundial.

O canal afirma que é possível que estejam acontecendo expurgos de lideranças do Partido Comunista e das Forças Armadas, que conspiraram para assumir o poder, ao acreditar na morte do ditador.

A manobra de Kim também serviu para minar a credibilidade de desertores, que afirmaram que o Kim Jong-un teria morrido após complicações de uma cirurgia. Um dos casos é de Thae Yong-ho, ex-funcionário da embaixada do país em Londres, que fugiu para a Coreia do Sul em 2016.

Por meio de nota, Thae, que foi eleito para o parlamento sul-coreano no último mês, pediu desculpas: “Não importa os motivos. Peço perdão para todo mundo”, afirmou.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 Comentário

  1. Louco de jogar pedra.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Vacinação sem vacina

Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê? Um negócio da China?

Supremas diferenças

Ao compararmos o STF à Suprema Corte dos Estados Unidos, o choque é violento

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma guerra civil nos EUA?

A mídia recusa-se a noticiar o que é evidente aos olhos de seus espectadores, e intelectuais argumentam que “saques e protestos violentos são vivenciados como eventos alegres e libertadores”

Você não pode perder

Ciência, que é bom, nada

Ciência, que é bom, nada

"Desde o começo da epidemia a discussão vem sendo assim: política em primeiro lugar", afirma J.R. Guzzo...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês