Liderança do governo reforça assessoria técnica para impulsionar a articulação - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 14 abr 2020, 08:00

Liderança do governo reforça assessoria técnica para impulsionar a articulação

14 abr 2020, 08:00

Equipe técnica vai ser composta de especialistas das áreas de direito e economia

A liderança do governo na Câmara montou um time técnico de primeira para auxiliar na articulação política, capitaneada na Casa pelo deputado Vitor Hugo (PSL-GO). Diante do arrocho fiscal ampliado pelo coronavírus e de um Orçamento cada vez mais impositivo, o Executivo sabe que precisa apostar cada vez mais em argumentos técnicos para convencer os parlamentares a votar pelo mérito das propostas.

Historicamente, o presidencialismo de coalizão sempre foi construído mediante a abertura de espaços no governo a apadrinhados políticos. Somado a isso havia a liberação de emendas parlamentares impositivas, de execução obrigatória, e não impositivas, que são remanejadas dentro do Orçamento. Os técnicos vão trabalhar justamente para ajudar a obstruir a barganha em troca de apoio.

A aposta do governo é que, com argumentos técnicos bem embasados e alinhados com os ministérios, as consultorias da Câmara e vice-lideranças, o achaque político seja mitigado. O “gabinete técnico” da liderança é composto de quatro pessoas. Três são especialistas na área do direito e uma na área econômica, sobretudo orçamentária.

Montagem

O quadro especializado de profissionais começou a ser montado ainda em 2019 e foi concluído — ao menos por ora — na segunda-feira, 13. A primeira pessoa nomeada, em setembro do ano passado, foi a advogada Cíntia Cabral, especialista em direito tributário. Assumiu postos de chefia na prefeitura de São José do Rio Preto (SP) e trabalhou por 11 anos no escritório do advogado Ives Gandra Martins, professor emérito da Universidade Mackenzie.

Outros dois trabalham mais recentemente. É o caso dos advogados João Antonio Dall’Ava e Riama Vasconcelos. João, que atuará mais focalizado na área constitucional, foi professor universitário e assessor jurídico do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes. Riama atuará em áreas gerais e trabalhou em escritórios de advocacia e como assessora parlamentar do ex-deputado Francisco Araújo (PSD-RR).

O mais recente integrante foi nomeado ontem. Trata-se de Pedro Ivo Junior. Até então, ele trabalhava com o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, coordenando a elaboração de posicionamento técnico da pasta relativo a projetos de atos legais e regulamentares de iniciativa do governo e Congresso. Sobretudo após a derrota do governo na votação do substitutivo do Projeto de Lei Complementar (PLP) 149/19, é um nome que agrega um peso considerável ao time.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 Comentário

  1. Total apoio à criação da assessoria técnica e aos nomeados, em especial à Dra. Cintia Figueiredo Cabral, cuja capacidade é do meu conhecimento. Parabéns. Será de utilidade ímpar.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês