Mais de 40 mil candidatos 'mudaram' de raça para disputar as eleições deste ano - Revista Oeste

Edição da semana

Em 20 out 2020, 09:00

Mais de 40 mil candidatos ‘mudaram’ de raça para disputar as eleições deste ano

20 out 2020, 09:00

Confira o ranking por partido

Luciana Viana | Foto: Tribunal Superior Eleitoral

Em 2020, Lucia Viana disputa a vaga de vice-prefeita em Palmas, capital do Tocantins. A candidata também tentou se eleger para esse cargo em 2016. O partido dela ainda é o mesmo: o PSOL. Mudou, no entanto, algo que pode parecer mais difícil: sua raça. Antes, a política se considerava uma mulher branca, agora ela é diz que é preta. Mais de 40 mil candidatos de todas a matizes ideológicas decidiram fazer o mesmo: mudaram a autodeclaração de raça entre as duas eleições.

Leia também: Quase 70% dos candidatos trocaram de partidos nessas eleições

Curiosamente, isso aconteceu no ano em que a Justiça Eleitoral determinou que os partidos precisam destinar os recursos do fundo eleitoral e o tempo da propaganda no rádio e na TV de maneira proporcional entre as raças.

Confira o ranking dos candidatos que mudaram a autodeclaração de raça por partido

1º MDB: 3.898 candidatos
2º PSD: 3.783 candidatos
3º PP: 3.315 candidatos
4º DEM: 3.053 candidatos
5º PSDB: 2.848 candidatos
6º PT: 2.461 candidatos
7º PL: 2.440 candidatos
8º PSB: 2.397 candidatos
9º Republicanos: 2.346 candidatos
10º PDT: 2.339 candidatos
11º PTB: 1.863 candidatos
12º PODE: 1.498 candidatos
13º PSC: 1.466 candidatos
14º Solidariedade: 1.454 candidatos
15º Cidadania: 1.451 candidatos
16º PSL: 1.190 candidatos
17º Avante: 1.175 candidatos
18º Pros: 964 candidatos
19º PV: 930 candidatos
20º PC do B: 909 candidatos
21º Patriota: 861 candidatos
22º PTC: 468 candidatos
23º PRTB: 378 candidatos
24º PMN: 371 candidatos
25º DC: 305 candidatos
26º Rede: 265 candidatos
27º Psol: 228 candidatos
28º PMB: 158 candidatos
29º PSTU: 11 candidatos
30º Novo: 4 candidatos
31º PCB: 4 candidatos
32º PCO: 2 candidatos
33º UP: 1 candidato

 

Luciana Viana | Foto Tribunal Superior Eleitoral

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

6 Comentários

  1. Com confiar um cargo a um candidato que usa vantagens indevidas para se eleger
    Eita brasilzinho da lei de Gérson.
    Se não levar vantagem ñ serve

    Responder
  2. Esse negócio de cotas para candidatos negros, só poderia sair daquela cloaca do i****** do LewandoWhyski, aí se chega a uma situação dessas aí. Agora vamos imaginar uma seguinte situação: Um candidato branco caucasiano, obteve 200.000 votos mas ficou abaixo do último da cota dos brancos; por outro lado, um candidato negro obteve 70.000 votos e é o primeiro da fila da cota dos negros. Qual deles que tomará posse? O que obteve a maioria dos votos? Ou o negro que obteve bem menos votos e está atendendo o critério das cotas? Vejam só que confusão dos diabos!

    Responder
  3. Nada mais nada menos do que inescrupulosos se aproveitando da ignorância de parte da população brasileira, é o lixo tentando ganhar espaço; sofrível.
    Como sempre o ranking do que nada vale ou não presta sempre é encabeçado pela esquerda!

    Responder
  4. Vai Tomaro noku!

    Responder
  5. O revista oeste! Censurar a palavra imbehcil de novo? Que vergonha! Que desgraça!

    Responder
  6. Sem comentários… alguns partidos só não tiveram esse “milagre” em número maior porque não havia mais candidato disponível…

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Vacinação sem vacina

Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê? Um negócio da China?

Supremas diferenças

Ao compararmos o STF à Suprema Corte dos Estados Unidos, o choque é violento

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

Ciência, que é bom, nada

Ciência, que é bom, nada

"Desde o começo da epidemia a discussão vem sendo assim: política em primeiro lugar", afirma J.R. Guzzo...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês