Médica de Porto Seguro viraliza vídeo ao defender tratamento precoce no combate à covid-19 - Revista Oeste

Em 4 jul 2020, 18:30

Médica de Porto Seguro viraliza vídeo ao defender tratamento precoce no combate à covid-19

4 jul 2020, 18:30

Raissa Soares conta que pediu comprimidos de hidroxicloroquina junto à prefeitura e ao governo do Estado da Bahia, mas a medicação não foi fornecida

recomendação

“Manda um avião, manda um carregamento, coloca hidroxicloroquina nessa cidade”, pediu a médica Raissa Soares | Foto: MARCELO CASAL/AGÊNCIA BRASIL

A médica Raissa Soares ficou conhecida por gravar um vídeo em 30 junho mostrando preocupação com a falta de recursos para tratar os pacientes contaminados pelo coronavírus em Porto  Seguro-BA e outras cidades no entorno. O vídeo viralizou e chegou até o presidente Jair Bolsonaro. 

Durante a gravação, a médica diz que está atendendo pacientes de várias cidades da Bahia e todos têm o mesmo discurso: “eles não têm hidroxicloroquina onde eles estão”. “Em Porto Seguro, já estou constrangida de pedir aos empresários doações para eles obterem a medicação. E a gente vê na mídia que o exército tem o remédio”. E faz um apelo: “Meu presidente, nos ajuda. “Manda um avião, manda um carregamento, coloca hidroxicloroquina nessa cidade”. Raissa defende o uso da medicação aos primeiros sintomas da doença e acredita nos bons resultados dos protocolos utilizados precocemente. “Se eu trato e vejo resultado, o que acontece? Eu começo a ter convicção. O protocolo precoce funciona. O colapso no sistema acontece se você não trata. Os leitos públicos vão ser esgotados porque não está tratando precoce”.

Leia também: Covid-19: o tratamento precoce pode vencer o coronavírus

Em live promovida ontem no canal do Youtube da jornalista Leda Nagle, a médica conta que pediu comprimidos de hidroxicloroquina junto à prefeitura e ao governo do Estado da Bahia, mas a medicação não foi fornecida. Até então, Raissa e os profissionais da região estavam utilizando a medicação doada por empresários.

Como a situação em Porto Seguro caminhava para o colapso no sistema de saúde, Raissa resolveu pedir ajuda ao presidente da República: “Vou gravar um vídeo, vai que ele escuta”. O presidente, além de receber e assistir ao vídeo, ligou para a médica pessoalmente no dia 1º e, segundo Raissa, disse: “doutora, vamos fazer de tudo aqui”.  

Durante a live, Raissa conta que no dia seguinte à gravação do vídeo, um funcionário do Hospital Estadual Luís Eduardo Magalhães, onde trabalhava, comunicou que seu contrato de trabalho não seria renovado. Mas segundo a médica, seu contrato estava vigente. Portanto, ela teria sido demitida do hospital após pedir a medicação para tratamento de pacientes com a covid-19.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Presidente manda Cloroquina! #vamossalvarvidas #todosjuntos #covid19 #covid0 #maisum #portoseguroba #brasil

Uma publicação compartilhada por Dra Raissa Soares (@draraissasoares) em

Diante do apelo do vídeo da médica, nesta sexta-feira 3, 40 mil comprimidos de cloroquina chegaram a Porto Seguro.

Para quem pergunta para a médica o porquê de falar de uma medicação que não tem evidência, ela responde: “Estamos em guerra. Eu tenho que tentar. A doença evolui muito rapidamente em quatro ou cinco dias. Em 2021, nós teremos as evidências. Mas nesse momento, tenho que trazer a doença para o meu controle, eu controlo a doença com raciocínio clínico, com a atuação, com investimento.  E hoje temos resultados, Porto Seguro colhe os frutos”.  

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

20 Comentários

  1. Parabéns doutora Raissa.

    Responder
    • Parabéns 👏🏻👏🏻Que todos os médicos, prefeitos e governantes tomem essa iniciativa de salvar vidas🙏 Que o povo não vote mais em políticos que deu a conta pra uma médica por torcer pro time de quanto pior melhor🙏 Bolsonaro tem razão 🙏🇧🇷

      Responder
      • Onde está o ministro da saúde para ouvir a experiência desta médica e ajudá-la.

        Responder
    • ONDE ESTÁ O MINISTRO DA SAÚDE DO GOVERNO.

      Responder
    • Gente ,toda doença merece e deve ser tratada assim que for identificada , quanto mais cedo melhor , todo médico diz isso.
      Quem está na cabeceira do leito é o médico , então quem tem que decidir qual o melhor medicamento é ele e não os políticos ou OMS ou protocolo qualquer .
      Os médicos não podem se politizar ou aguardar um protocolo ou vacina que virá sei lá quando.
      Então Srs médicos esqueçam políticos , esqueçam ideologias partidárias e sigam o juramento que fizeram ao receberem seus diplomas.

      Responder
  2. Tomara outros médicos do país, cujos postos/hospitais públicos não estejam fornecendo medicamentos para tratamento precoce, botem a boca no trombone e desmascarem os políticos que estão impedindo o tratamento e empurrando a população de baixa renda para a morte.
    Sempre ouvimos que o tratamento precoce é necessário para salvar vidas vítimas de doença grave, como o câncer por exemplo. Porque nessa pandemia virou crime tentar salvar vidas?

    Responder
    • Sigam o protocolo que ela indica, que deve ser a HIDROXICLOROQUINA, a AZITROMICINA e ZINCO. Se for fazer profilaxia, o povo está fazendo o seguinte, IVERMECTINA, ZINCO, VITAMINA D, VITAMINA C, sumo de limão ou laranja, banho de sol, exercicios físicos, muita água (TODOS ELES MELHORAM A IMUNIDADE) e assepsia da garganta. Na verdade essas recomendações são de março. Passaram-se 4 meses e a esquerda ainda faz boicote contra essas recomendações. Preferem DIPIRONA, TAMIFLU e XAROPE, (pros outros, é claro ).

      Responder
      • Fora BOZONARO

        Responder
  3. O tratamento precoce tem salvado vidas onde o protocolo e utilizado. Usando na fase viral melhora o paciente, o recupera e ele não precisa chegar aos hospitais evitando o colapso.simples e constatado.se não há medicamento científico identificado, o médico, com sua percepção clínica e os resultados obtidos , deve usar o que tem na guerra colossal contra o mal que enfrenta. Se tem bons resultados, por que não? Ou ser a que é por causa dos custos baratinhos? Ou por que foi Bolsonaro que faliu lá no início da pandemia? Vidas poderiam ter sido salvas. Quem desonera por suas perdas?

    Responder
  4. Ela é uma guerreira. Infelizmente quando o obscurantismo cientificista se junta com a militância política o resultado não podia ser outro, pediram o emprego dela, e o pior, conseguiram tirar ele dela.

    Responder
  5. Se o médico da minha confiança receitar hidroxicloroquina eu vou tomar. Se o médico da minha confiança não acredita na eficácia da Hidroxicloroquina, vai receitar outros fármacos. Não entendo esta discursão estéril. Dra Raissa, acredita na terapêutica com a Hidroxicloroquina, portanto vamos respeitar e providenciar a medicação que ela acredita.

    Responder
  6. Minha família no nordeste está sendo tratada com a Cloroquina + Azitromicina e os resultados são impressionantes!!! NÃO É ATOA QUE O BRASIL TEM ALCANÇADO NÚMEROS SURPREENDENTES DE CURADOS, depois que o protocolo precoce foi admitido pelo MS e autorizado no SUS os números dispararam. Graças a Deus, pela vida da Dra. Raíssa e tantos outros que decidiram IGNORAR A POLITICAGEM E ESCOLHERAM SALVAR VIDAS!!

    Responder
  7. A Dra. Raissa é muito competente e comunicativa, não será difícil receber convites em outro hospital. Ela continua no hospital do município, trabalhando junto com a Prefeita.

    Responder
  8. Parabéns doutora.

    Responder
  9. Meu Deus, o pior de tudo é saber que milhares de vidas poderiam ser salvas, se não fosse o boicote dos políticos corruptos com apoio da grande mídia (globo, band, folha de sp, uol, veja e outros), por ser um medicamento barato e indicado pelo governo federal. Uma pergunta, será que num futuro não muito distante, esses vermes serão responsabilizados pelas mortes, por fazerem boicote a o uso. Se não me engado isso sim é genocídio, evitar que vidas poderiam ser salvas.

    Responder
  10. Espero que os que negaram o tratamento sejam severamente punidos.

    Responder
  11. Qdo isto acabar precisamos saber qtos morreram por omissão de estados e municípios.

    Responder
  12. Na verdade há um vídeo de 05 de julho onde a médica explica que pediu para sair do hospital porque seu contrato foi vencido e ela, não podia ficar em dois, pela demanda de trabalho escolheu sair:
    https://osollo.com.br/video-dra-raissa-soares-explica-seu-desligamento-do-hrdlem-em-porto-seguro/
    Quanto ao protocolo ele realmente é eficaz em alguns casos, mas não em todos. A ciência atua sim, para salvar vidas. Infelizmente as pessoas acabam indo por publicações ou crenças sem compreenderem direito como funciona as coisas, até por falta de conhecimento e o mínimo de interesse em pesquisar para ver de onde vem aquilo. Acreditam na primeira “postagem” que aparece em zap, face, insta. E criticavam o tal do Lula, e do PT, mas continuam endeusando um político, criando um fanatismo, mitificando, ignorando o fato da corrupção, ignorância, pensamento genocida, e descaso com os menos favorecidos do país que ele está proporcionando. Então, com certeza, se o protocolo for pesquisado e der certo PARA TODOS porque é essa a função de uma vacina, por exemplo, será usada. Mas, é preciso tempo, pesquisa não é do dia para noite. Mas, como disse antes, há pessoas que usaram desde o início o protocolo e infelizmente chegaram ao extremo da doença. Vamos se informar mais, buscar mais e acreditar menos em políticos e suas boas intenções.

    Responder
    • Aleluia , enfim um comentario digno de ser sevuido, muito coerente, nem tudo esta perdido.

      Responder
  13. ONDE ESTÁ O MINISTRO DA SAÚDE DO GOVERNO PARA VER ESSES RELATOS DE MÉDICOS E AJUDÁ-LOS?

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa news

Coronavírus

Oeste Notícias