-Publicidade-

Nervosismo comanda os mercados neste início de semana

Previsões ruins sobre o coronavírus na Europa e nos Estados Unidos e inexistência de acordo sobre pacote de estímulos americano deixam investidores ansiosos
Eleição de Joe Biden causa pavor nos produtores de petróleo | Foto: Gage Skidmore/Flickr
Eleição de Joe Biden causa pavor nos produtores de petróleo | Foto: Gage Skidmore/Flickr | mercado financeiro, estados unidos, europa, eleições americanas 2020, coronavírus, segunda onda, mike pence, joe biden, petróleo, democratas, paulo guedes, eletrobras, senado, câmara dos deputados

Previsões ruins sobre o coronavírus na Europa e nos Estados Unidos e inexistência de acordo sobre pacote de estímulos norte-americano deixam investidores ansiosos

mercado financeiro, estados unidos, europa, eleições americanas 2020, coronavírus, segunda onda, mike pence, joe biden, petróleo, democratas, paulo guedes, eletrobras, senado, câmara dos deputados
Eleição de Joe Biden causa pavor nos produtores de petróleo | Foto: Gage Skidmore/Flickr

Nervosismo marca o início da semana nos mercados financeiros da Europa e dos Estados Unidos.

No Velho Continente, a segunda onda de coronavírus continua a assustar, com uma previsão ruim do The Wall Street Journal de que, em comparação com a primeira, seis vezes mais pessoas possam se infectar pelo vírus chinês desta vez.

Já nos Estados Unidos, além dos novos casos da doença, que chegou até mesmo à equipe do vice-presidente Mike Pence, a falta de acordo sobre o pacote de estímulos à economia faz com que se acredite que não existirá nenhum conjunto de medidas até as eleições.

Aliás, estas ocorrem na próxima semana — em 3 de novembro — e também geram ansiedade nos investidores.

Com aversão ao risco, o dólar sobe e o petróleo despenca. O “ouro negro” tem duas fortes razões para afundar: pesquisas eleitorais ainda mostram Joe Biden na frente, e ele já avisou que, caso vença, deve colocar novamente o país em confinamento contra o coronavírus.

Para piorar, os democratas, como Biden, são contrários ao uso de combustíveis fósseis, derivados do petróleo.

Aqui no Brasil, pelo menos, as notícias são boas. O ministro da Economia, Paulo Guedes, em conversa com interlocutores no fim de semana, afirmou que a privatização da Eletrobras já está acertada com o Senado. De acordo com ele, agora só falta conversar com a Câmara dos Deputados.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês