Movimentos do Centrão por liderança do governo geram desconforto - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 24 jul 2020, 09:00

Movimentos do Centrão por liderança do governo geram desconforto

24 jul 2020, 09:00

Especulações sobre substituição de Vitor Hugo por Ricardo Barros na liderança do governo na Câmara incomodam alguns governistas. Movimentos são vistos como uma cobiça do Centrão

ricardo barros - liderança do governo

Deputado Ricardo Barros (PP-PR), ex-ministro da Saúde, é especulado dentro do Centrão como sucessor de Vitor Hugo (PSL-GO)

As especulações envolvendo a substituição do deputado Vitor Hugo (PSL-GO) por Ricardo Barros (PP-PR) na liderança do governo na Câmara geraram desconforto no Executivo. Interlocutores da articulação política associam as notícias vazadas à imprensa a um movimento do Centrão pelo posto.

Os governistas, no entanto, não cogitam uma ofensiva contra o Centrão. Consideram que o próprio presidente Jair Bolsonaro vem dando os sinais necessários para assegurar a permanência de Vitor Hugo, conforme mostrou Oeste. Na quinta-feira, 23, por exemplo, o líder participou da tradicional live.

Em caráter reservado, membros do governo avalia, contudo, que incomoda as especulações. E não negam suas opiniões pessoais sobre uma possível substituição de Vitor Hugo. “Não sei o que a liderança ganharia com isso agora”, pondera um interlocutor na Câmara. “Não seria positiva a ida do Ricardo Barros agora”, analisa outra fonte, do Palácio do Planalto.

Alinhamento

A análise dos governistas ouvidos é que a liderança desempenha um bom trabalho, em alinhamento ao que cobra Bolsonaro. “Não vejo o que o Ricardo tem a agregar no trato sobre a reforma tributária, por exemplo”, avalia outro interlocutor.

Em comum, todos os governistas avaliam que os movimentos do Centrão são os mesmos que sugerem a saída do ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello. “A ideia nunca foi ele ser permanente. Por enquanto, ele fica, e fica a contento”, sustenta um dos interlocutores.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês