MTST provoca aglomeração em São Paulo - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 13 ago 2020, 18:00

MTST provoca aglomeração em São Paulo

13 ago 2020, 18:00

Movimento é liderado por Guilherme Boulos, pré-candidato a prefeito da capital paulista

mtst - aglomeração - boulos

Manifestantes invadem e fecham ruas | Foto: REPRODUÇÃO/G1/ARQUIVO PESSOAL

Apesar de a esquerda brasileira defender até hoje a campanha do “fique em casa”, sem se preocupar com quem precisar sair a trabalho para garantir o sustento da família, o autointitulado Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) voltou a promover aglomeração na capital paulista. Duas semanas após invadir ruas, o grupo realizou protesto na tarde de hoje.

Leia mais: “Vice de Biden já espalhou fake news para criticar Bolsonaro”

O MTST é liderado por Guilherme Boulos, que “ameaça” ser candidato à prefeitura de São Paulo pelo Psol, conforme define o jornalista Augusto Nunes, colunista da Revista Oeste. A fim de demonstrar o cunho político da aglomeração, ele revelou que o motivo oficial da aglomeração de agora foi o mesmo da manifestação realizada no fim de julho. Ou seja: reclamar do governo estadual pelas ações de despejo.

A aglomeração provocada pelos liderados de Boulos fechou vias da região do Morumbi, na capital paulista. Os manifestantes caminharam até o Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do Estado de São Paulo. Sem justificar a aglomeração em tempos de pandemia, eles cobram acordo com as autoridades locais. No começo do mês, chegaram, em reunião, a pedir liberação de recursos para moradia.

Contaria orientações médicas

Em nota, a Secretaria Estadual de Habitação, que é conduzida por Flávio Amary, chamou a atenção para o fato de que, independentemente do teor da reclamação, o grupo foi responsável por provocar aglomeração em tempos de contágio pela covid-19.

“Esse tipo de concentração contraria as orientações das autoridades médicas”

“A Secretaria Estadual da Habitação lamenta que manifestações sejam realizadas reunindo um grande número de pessoas num momento em que esse tipo de concentração contraria as orientações das autoridades médicas, que recomendam o distanciamento social como forma de combater a pandemia do coronavírus”, informa a secretaria.

Por outro lado, a pasta põe em xeque os reais objetivos da aglomeração de hoje. Mas sem citar Boulos os quaisquer outros pré-candidatos às eleições 2020. “Que os objetivos políticos de suas lideranças não impeçam que se busque o entendimento em favor de soluções reais para suprir o déficit de moradia nos segmentos mais carentes da população.”

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 Comentários

  1. É assim que o Boulos perde votos. Um craque eleitoral. Cabo Daciolo ganha dele fácil.

    Responder
  2. Nulidade, em todos os sentidos!

    Responder
  3. Fico imaginando o tipo de gente que vota nisso…

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês