A busca por um medicamento contra a covid-19

Empresas farmacêuticas estão testando remédios que ajudam no combate à doença
-Publicidade-
Pesquisadores estão desenvolvendo medicamentos que atenuam os efeitos da covid-19. Foto: THE OFFICE OF GOVERNOR/TOM WOLF/FICKR
Pesquisadores estão desenvolvendo medicamentos que atenuam os efeitos da covid-19. Foto: THE OFFICE OF GOVERNOR/TOM WOLF/FICKR

Empresas farmacêuticas estão testando remédios que ajudam no combate à doença

Em 13 de março de 2020, dois médicos da rede de hospitais Northwell Health, com sede na cidade de Nova Iorque, decidiram buscar um medicamento capaz de combater os efeitos provocados no corpo humano pela covid-19, informa o Financial Times.

A dupla enviou a um laboratório dois remédios para testar sua eficácia contra o coronavírus: o antiviral Remdesivir e o anti-inflamatório Kevzara, ambos desenvolvidos para tratar do ebolavírus e da artrite reumatoide, respectivamente.

-Publicidade-

Cientistas e pesquisadores independentes na área da saúde se organizaram para estudar as amostras, cujo processo leva dias. Contudo, terminaram em apenas quatro, e os doentes, então, passaram a receber a primeira dose dos medicamentos experimentais.

A Northwell Health torce para que a tentativa consiga parar a replicação do vírus no corpo dos infectados e, também, reduzir a inflamação nos pulmões. Por ora, é o melhor que se pode fazer até aguardar uma vacina, que deve ficar pronta nos próximos 18 meses.

Pesquisas

Cientistas do mundo todo estão investigando três tipos de remédios que podem combater a covid-19: antivirais, para impedirem a replicação do vírus; anti-inflamatórios que agem n59os pulmões depois que o sistema imunológico está sobrecarregado; e tratamentos baseados em anticorpos, derivados de pacientes que se recuperaram da doença.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

  1. A Hidroxicloroquina associada a Azitromicina e usada ha 20 anos por um medico francês.
    Duas drogas sem patentes de tão antigas com todos os efeitos colateraos conhecidos.
    Mas a Indústria Farmacêutica tem que lucrar não é?
    Querem que ele publique um trabalho à respeito. Tem lógica?
    Enfim sou Farmacêutica Bioquímica e sei bem como funciona isso.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.