A não-binária de mil anos

Corpo de guerreiro (a) pode ter características provocadas pela síndrome de Klinefelter
-Publicidade-
Estudo foi publicado em jornal britânico
Estudo foi publicado em jornal britânico | Foto: Reprodução
Espada encontrada no túmulo finlandês. (Imagem reprodução Finna.fi)

O European Journal of Archaeology revelou que pode ter encontrado uma pessoa de sexualidade não-binária num túmulo de mil anos encontrado em 1968 em Hattula, no sul da Finlândia. Segundo o estudo, divulgado pelo jornal britânico The Guardian, o corpo da pessoa enterrada estava cercada de joias e vestida com “uma típica roupa feminina da era”.

Ao mesmo tempo havia no túmulo duas espadas, armas que eram tradicionalmente ligadas à masculinidade. Aparentemente a tumba era ocupada por um casal, mas exames recentes de DNA demonstraram que os restos pertencem a uma única pessoa, que portava a chamada síndrome de Klinefelter.

-Publicidade-

Essa síndrome é caracterizada pela presença de um cromossomo X a mais em um homem, que costuma apresentar seios, órgãos genitais menores, infertilidade e pouco impulso sexual. Os pesquisadores concluíram que o corpo encontrado em Hattula “era uma pessoa respeitada cuja identidade de gênero poderia ter sido não-binária”.

Leia também: “Os mais recentes ataques da linguagem neutra”, reportagem publicada na Edição 71 da Revista Oeste

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro