Afeganistão: um dia depois da queda do governo, repórter da CNN aparece de véu em transmissão

Talibã obriga mulheres a usarem a vestimenta
-Publicidade-
A jornalista Clarissa Ward | Foto: Reprodução
A jornalista Clarissa Ward | Foto: Reprodução

Clarissa Ward, correspondente da CNN em Cabul, no Afeganistão, mudou as vestimentas depois que o Talibã passou a controlar o país. No domingo 15, Clarissa havia feito diversas aparições na emissora sem o hijab, que os extremistas agora no poder obrigam as mulheres a usarem.

Nesta segunda-feira, 16, foi possível ver Ward com a vestimenta falando sobre a questão da retirada das tropas norte-americanas e detalhando a situação da cidade afegã após a saída do presidente Ashraf Ghani. Refugiada em um prédio, Ward não informou se pretende deixar o país, como seus colegas.

Durante uma das entrevistas que a profissional deu à CNN, o âncora da TV em Nova York manifestou preocupação com a correspondente, mas a jornalista disse que estava fora de perigo. “Está tudo bem, estamos bem”, respondeu.

-Publicidade-

Leia também: “A tragédia do Afeganistão envergonha o Ocidente”, artigo publicado na Edição 73 da Revista Oeste

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro