Arábia Saudita vai limitar a peregrinação a Meca

A Arábia Saudita anunciou que vai permitir que mil muçulmanos que vivem no país possam realizar a peregrinação à Meca, cidade sagrada para o Islã
-Publicidade-
Foto: chzaib/ Pixabay
Foto: chzaib/ Pixabay | Peregrinação à Meca

De acordo com o anúncio, peregrinação a Meca será limitada a mil muçulmanos que vivem no país; em 2019, 2,5 milhões de muçulmanos estiveram na cidade considerada sagrada

Peregrinação à Meca
Foto: chzaib/ Pixabay

O governo da Arábia Saudita anunciou que vai permitir que mil muçulmanos que vivem no país possam realizar a peregrinação a Meca, a cidade mais sagrada para o Islã. O anúncio foi feito pelas autoridades do reino nesta terça-feira e está ligado às medidas de combate ao coronavírus.

-Publicidade-

“Os peregrinos serão quase mil, talvez um pouco mais, um pouco menos. O número não chegará a 10 mil ou 100 mil”, afirmou em uma entrevista coletiva Mohammed Benten, ministro para o Hajj, como é conhecida a peregrinação a Meca, informa o portal G1.

Leia também: “Basílica de São Pedro volta a receber visitantes”

Em 2019, cerca de 2,5 milhões de muçulmanos de todo o mundo participaram da peregrinação na Arábia Saudita, conforme divulgou o governo do país. Desde a fundação do reino árabe, em 1932, em nenhum ano houve cancelamento da peregrinação.

Conforme a tradição islâmica, o Hajj deve ser realizado em um período do ano que começa no fim de junho. Para cumprir o último dos chamados cinco pilares do islamismo, todo muçulmano precisa fazer a peregrinação a Meca pelo menos uma vez na vida, caso tenha condições financeiras e de saúde.

Coronavírus no reino saudita

De acordo com dados divulgados pelo governo da Arábia Saudita, o país foi o mais afetado pela pandemia do coronavírus na região da Península Arábica. O país teve 161 mil casos confirmados de covid-19 e 1.307 mortos.

Mais: “Basílica do Santo Sepulcro vai reabrir amanhã”

Na semana passada, o país relaxou algumas das duras medidas de confinamento impostas pelo governo. O toque de recolher, em vigor havia três meses, foi retirado.

As mesquitas de Meca, o centro da fé islâmica, reabriram neste domingo após quatro meses fechadas como medida para tentar conter a contaminação por coronavírus no país.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.