-Publicidade-

Senado da Argentina aprova reforma do Judiciário

Oposição denuncia tentativa de Cristina Kirchner de livrar-se de processos que podem levá-la para a cadeia
A vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner | Foto: DIVULGAÇÃO/FLICKR
A vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner | Foto: DIVULGAÇÃO/FLICKR | A vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner | Foto: DIVULGAÇÃO/FLICKR

Oposição denuncia tentativa de Cristina Kirchner de livrar-se de processos que podem levá-la para a cadeia

senado da argentina
A vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner | Foto: DIVULGAÇÃO/FLICKR

O Senado da Argentina aprovou nesta sexta-feira, 28, um projeto de lei para reformar o Judiciário do país. A votação terminou com 40 votos a favor e 26 contra. A proposta encabeçada pelo governo federal vai para a Câmara dos Deputados, onde a ratificação é incerta. Essa medida é prioritária para a vice-presidente Cristina Kirchner. Caso seja chancelada, a nova legislação criará tribunais regionais e aumentará o número de juízes no país e de integrantes da Corte Suprema. Em vez de 270 novos cargos, o projeto aprovado propõe a criação de 908 novos cargos em todo o país.

Leia também: “Alberto Fernández põe em xeque a Justiça argentina”

Conforme o Executivo, a lei é necessária para que a Justiça seja mais rápida e eficiente, e o trâmite dos casos, mais organizado em instâncias regionais. Contudo, a oposição garante que se trata de uma manobra de Cristina — ela carrega nas costas uma penca de processos por envolvimento em casos de corrupção —, para salvar a própria pele. Em duas ações que pesam contra a vice-presidente, já há ordem de prisão. No entanto, ela tem foro privilegiado e não pode ir para a cadeia. Recentemente, milhares de argentinos foram às ruas protestar contra o isolamento social e a reforma do Judiciário.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

5 comentários

    1. Exatamente. A jogada é óbvia. Entulhar o judiciário de comunistas togados e paralisar a sociedade numa reação contra a esquerda. Mas serei franco. Alguém tá com pena? Eu não. Os argentinos têm q sifu com todas as letras. Foram de uma estupidez olímpica ao votarem nesses bandidos, de novo. Cabeça q não pensa paga com a bunda. Antes a bunda deles do q a nossa.

  1. Dominar o judiciário é a nova tara da esquerda. Muito mais eficaz que sindicatos, intelectuais e estudantes, o judiciário abençoa a corrupção vermelha com generosa rapidez. Em democracias jovens como as da América Latina não há como reverter esse comportamento peçonhento.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês