Ativistas iranianos condenam Emmanuel Macron por cumprimentar “açougueiro de Teerã”

Conversa entre Macron e Raisi durou uma hora
-Publicidade-
O presidente da França, Emmanuel Macron
O presidente da França, Emmanuel Macron | Foto: Reprodução

O presidente francês Emmanuel Macron foi duramente condenado por mandar seus cumprimentos na posse do novo presidente iraniano, Ebrahim Raisi, conhecido como “o carniceiro de Teerã”.

“Nós, o povo do Irã, nunca esqueceremos essa traição histórica”, declarou a jornalista e ativista Masih Alinejad. “Presidente de um país democrático cumprimenta um assassino em massa como Raisi, que ordenou a execução de mais de 5 mil prisioneiros nos anos 1980. Senhor Macron, o senhor já pensou em ligar para a família de Ruhollah Zam, o franco-iraniano que foi sequestrado pela República Islâmica e executado?”

Ao jornal Jerusalem Post, o analista Jason Brodsky, da organização Iran International, disse que “é a primeira vez na história da República Islâmica que um ministro da Justiça se tornou presidente. Alguém com um prontuário tão sanguinolento como Raisi vai ter mais dificuldade no cenário mundial”.

-Publicidade-

A conversa entre Emmanuel Macron e Ebrahim Raisi durou uma hora. Outros dois presidentes europeus, o da Suíça e o da Áustria, também ligaram para cumprimentar Raisi.

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro