Banco dos EUA vai investir quase US$ 1 bilhão no Brasil

Recursos serão destinados a recuperar empresas fragilizadas pelo vírus chinês
-Publicidade-
(Washington, DC - EUA, 19/03/2019) O Senhor Donald Trump, Presidente dos Estados Unidos da América, cumprimenta o Presidente da República Jair Bolsonaro | Foto: ALAN SANTOS/PR
(Washington, DC - EUA, 19/03/2019) O Senhor Donald Trump, Presidente dos Estados Unidos da América, cumprimenta o Presidente da República Jair Bolsonaro | Foto: ALAN SANTOS/PR | (Washington, DC - EUA, 19/03/2019) O Senhor Donald Trump, Presidente dos Estados Unidos da América, cumprimenta o Presidente da República Jair Bolsonaro | Foto: ALAN SANTOS/PR

Recursos serão destinados a recuperar empresas fragilizadas pelo vírus chinês

trump
Estados Unidos e Brasil fecharam um pacote comercial entre os dois países | Foto: Alan Santos/PR

O Banco de Desenvolvimento dos Estados Unidos (DFC, na sigla inglês) informou que vai investir US$ 984 milhões em projetos brasileiros. A maior parte dos recursos vai para o Itaú e o BTG Pactual, de modo a concederem empréstimos a pequenas e médias empresas atingidas pelo vírus chinês. O anúncio da instituição faz parte da visita da delegação norte-americana ao Brasil, liderada pelo conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Robert O’Brien, e autoridades do Escritório do Representante de Comércio, da Agência de Crédito a Exportação do governo dos Estados Unidos e do DFC.

-Publicidade-

Na manhã da segunda-feira 19, foram anunciadas pelos executivos estrangeiros duas cartas de intenção de investimento, sendo um empréstimo direto de US$ 300 milhões ao BTG Pactual, para apoiar a expansão da carteira de empréstimos para pequenas e médias empresas, com foco em mulheres e empresários do Norte e Nordeste. Outros US$ 259 milhões serão dados como garantia de investimento para a Smart Rio, de modo a garantir a modernização e expansão de iluminação pública e instalação de câmeras e pontos de acesso a Wi-Fi no Rio de Janeiro.

Além disso, o pacote inclui US$ 425 milhões em projetos previamente acordados, sendo US$ 400 milhões para o Banco Itaú, que serão destinados a empréstimos para micros e pequenas empresas afetadas pelo coronavírus, especialmente voltado a mulheres e Estados menos desenvolvidos. Outros US$ 25 milhões serão investidos pela empresa TechMet, para aumentar a capacidade de produção de uma mina de cobalto e níquel no Piauí. O DFC tem oito projetos ativos no Brasil que somam US$ 1 bilhão, e seis em preparação que somam mais de US$ 800 milhões.

Leia também: “Pompeo: EUA e Brasil precisam reduzir dependência da China”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 comentários

  1. Boa! Deixar os tubarões chineses caçar neste mar de terra arrasada pós-covid é covardia e imoral. Quer fazer negócios? Primeiro os princípios morais, depois os econômicos.

  2. Ainda tem que aturar alguns bhostas dizendo que essa é uma batalha inútil! Pra essa gente, só posso dizer uma coisa! São meros covardes! São eternos khordeirinhos assustados! É porque os cristãos que se armaram até os dentes durante as cruzadas que cortou muçulmanos ao meio, o cristianismo sobrevive até hoje! Agora façam o favor de se armar até os dentes e largem a politica de não agressão, a não ser que queiram morrer mais rápido! Mas se não o fizerem, seus filhos e netos pagarão um preço muito alto pela morosidade que estão demostrando! Ainda acham que é só rezar que tudo dará certo? HEIN? REAJAM PHORRA! Larguem a mão dessa maneira errada de ”dar a outra face” seus inúteis! Acham que só suportar tudo calado é a solução? Se for isso, já perderam e é melhor mesmo preparar a sua própria cova, seus vagabhundos!

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.