Camilla era saudável e morreu por reação à vacina, atestam médicos

Com 18 anos, ela tomou a primeira dose do imunizante da AstraZeneca e teve uma trombose
-Publicidade-
Camilla Canepa tomou a primeira dose da AstraZeneca em maio
Camilla Canepa tomou a primeira dose da AstraZeneca em maio | Foto: Reprodução/Facebook

Aos 18 anos, a italiana Camilla Canepa morreu em 10 de junho, poucos dias depois de fazer uso da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela AstraZeneca. Ela era saudável, não tomava nenhuma medicação e sua morte por trombose “deve ser razoavelmente referida a um efeito adverso da administração da vacina anti-covid”, atestam os médicos Luca Tajana (legista) e Franco Piovella (hematologista) no relatório entregue ao Ministério Público de Gênova, Itália, que investiga o caso.

Camilla tomou a primeira dose do imunizante em 25 de maio. Em 3 de junho, ela deu entrada no setor de emergência do hospital de Lavagna e, no dia 5, foi internada no Hospital San Martino, em Gênova.

-Publicidade-

“Na primeira internação, a reação à vacina já estava em curso e podia ser interpretada”, escreveram os médicos no laudo. Eles ressalvaram que “pouco se falava” sobre esses efeitos “naquele contexto”, dificultando o diagnóstico da “correlação”.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.