Cardeal expõe ao papa perseguição da ditadura da Nicarágua

Segundo o religioso, mais uma vez, Francisco pediu para manter o diálogo
-Publicidade-
Daniel Ortega, ditador nicaraguense, tem perseguido sistematicamente os cristãos do país | Foto: Reprodução/YouTube
Daniel Ortega, ditador nicaraguense, tem perseguido sistematicamente os cristãos do país | Foto: Reprodução/YouTube

O cardeal nicaraguense Leopoldo José Brenes Solórzano se encontrou com o papa Francisco na quinta-feira 3 e expôs a situação da Igreja Católica na Nicarágua, cujos bispos foram tachados de “golpistas” e “terroristas” pelo ditador do país, Daniel Ortega. A perseguição a cristão se intensificou nos últimos meses, e Ortega tem levado religiosos à prisão e fechado emissoras católicas.

Depois de uma audiência privada com o papa, no Vaticano, o cardeal disse que o pontífice “conhece bem a nossa situação”. “Está sempre informado, disse-me para prosseguir com a pregação e com o acompanhamento do nosso povo, permanecer especialmente com nosso povo humilde e sensível e próximo dos sacerdotes”, declarou ao Vatican News.

Além disso, o cardeal foi aconselhado a manter o diálogo. “Devemos sempre manter o diálogo. O diálogo começa, mas não sabemos quando termina, devemos seguir em frente, promovê-lo sempre. O papa sempre nos dá essa indicação: o diálogo não pode terminar.”

-Publicidade-

O cardeal disse que, ao lado da perseguição a religiosos e opositores do regime, a igreja tem preocupação com o problema da emigração. “Muitas pessoas por motivos econômicos, por desemprego, deixam a Nicarágua e chegam a outros países, como Costa Rica, México, Estados Unidos. É uma grande preocupação para nós e também para o Santo Padre”, declarou.

Brenes foi ao Vaticano no sábado 29 acompanhado do vigário judicial da Arquidiocese de Manágua, Julio Arana. Eles também participaram de encontros com os bispos que compõem o Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam) e os da Conferência Episcopal da Itália.

Um relatório do Observatório Anticorrupção e Transparência encaminhado à Ajuda à Igreja que Sofre (ACN, na sigla em inglês) mostra que desde 2018 a Igreja Católica sofreu mais de 190 ataques na Nicarágua, conforme publicou Oeste.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

21 comentários Ver comentários

  1. Como dialogar com um crápula, esse Sr chamado de Papa se trata de um Esquerdista convicto. O Papa João Paulo II deve estar muito triste com essa Igreja com esse falso sucessor de Pedro!

  2. Sorte do cardeal Leopoldo ter sido apenas orientado a manter o monólogo, respondendo “sim senhor” a Ortega! Escapou de ser expulso da Igreja!

  3. É uma vergonha para os católicos ter um papa que faz como este argentino, o mundo está perdido msm. Tb tem católico que votou num salafrario como o Lula, e tem coragem de ir a igreja e receber a comunhão. Só pensam em roubar o povo.

  4. Este Papa comunista , que recebeu de Evo moralez um cristo crucificado numa foice e martelo, deveria estar fazendo muito mais na proteção aos cristãos. Ele gosta mesmo é de escrever cartinha de apoio a bandido preso.

    1. Manter o diálogo…?? ..diálogo pressupõe duas pessoas.. aqui temos monólogo…ditador manda matar prender e pronto. Sumo pontífice precisa sair da bolha

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.