Casa Branca corrige fala de Biden sobre intervenção militar em Taiwan

Presidente provocou crise diplomática
-Publicidade-
Vídeo de apoio de Biden ao Black Lives Matter, em outubro de 2020 | Foto: Reprodução/YouTube
Vídeo de apoio de Biden ao Black Lives Matter, em outubro de 2020 | Foto: Reprodução/YouTube

A Casa Branca se apressou a corrigir a declaração do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, segundo a qual haverá intervenção militar em Taiwan caso a China tente tomar a ilha. Conforme os assessores do democrata, Biden quis dizer que os EUA enviarão armas, e não soldados.

Nesta segunda-feira, 23, o Executivo comunicou que os EUA mantêm a política adotada há 40 anos, reconhecendo o princípio de “uma só China”. Contudo, o governo reiterou o apoio à autodefesa de Taiwan, para onde fugiram os nacionalistas chineses derrotados pelos comunistas na guerra civil de 1949.

Fala de Biden sobre intervenção militar em Taiwan

-Publicidade-

Em uma entrevista coletiva com o primeiro-ministro do Japão, Fumio Kishida, durante uma visita a Tóquio, Biden sugeriu estar disposto a ir mais longe para ajudar Taiwan do que no caso da Ucrânia.

Biden forneceu ajuda em armas ao país europeu, bem como assistência de Inteligência para ajudar a derrotar os invasores russos, porém se recusou a enviar tropas para participarem de um confronto direto com a Rússia.

“O senhor não queria se envolver militarmente no conflito da Ucrânia por razões óbvias”, disse um repórter a Biden. “O senhor está disposto a se envolver militarmente para defender Taiwan, se for necessário?”. “Sim”, respondeu Biden. “Esse é o compromisso que assumimos.”

Leia também: “A ‘Nova Ordem Mundial’ de Biden”, artigo de Frank Furedi publicado na Edição 109 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

7 comentários Ver comentários

  1. Lamentável. O presidente Joe Biden, todos sabem, não tem mais condições físicas para exercer a presidência da maior potência mundial.
    “Quem pariu Mateus que o embale”….

  2. Vamos respeitar mais os idosos NÃO votando em candidatos com mais de 70 anos a deputados, vereadores, prefeitos, presidente e governadores. Para o senado no máximo 65 anos, já que são 8 anos. Já “trapalharam” muito. Vamos renovar e deixar os idosos em paz. Na política NÃO a idosos

  3. Espera o que de um velho caquético (e pedófilo) que não fala coisa com coisa? Um inexpresssivo que em 47 anos de política nada fez que merecesse destaque.
    A fraude em 2020 está mais do que comprovada (2000 Mules).

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.