-Publicidade-

CEO do Parler é demitido depois de sugerir restrições a usuários

Rebekah Mercer, uma das principais investidoras da plataforma, assumiu como CEO
Empresa teria agido intencionalmente | Foto: Divulgação/Parler
Empresa teria agido intencionalmente | Foto: Divulgação/Parler | Empresa teria agido intencionalmente | Foto: Divulgação/ParlerER
conheça parler
Matze seria a favor de restringir a manifestação de grupos radicais dentro da comunidade | Foto: Divulgação/Parler

No último sábado, 29, John Matze foi demitido da direção do Parler — rede social que ele mesmo fundou. De acordo com o jornal The New York Times, o antigo gestor e o conselho de investidores discordaram sobre as medidas a serem tomadas no restabelecimento da plataforma. O executivo seria a favor de restringir a manifestação de grupos radicais dentro da comunidade e os conselheiros não teriam aceitado nenhum tipo de restrição.

Leia também: “YouTube derruba canais do site Terça Livre”

“Em 29 de janeiro de 2021, o conselho do Parler, controlado por Rebekah Mercer, decidiu encerrar imediatamente a minha posição como CEO”, declarou Matze à Reuters. “Eu não participei dessa decisão”.

Em caráter temporário, Rebekah Mercer, uma das principais investidoras do Parler, assumiu como CEO. Ao antecessor, a nova dirigente já teria manifestado que é radicalmente a favor da liberdade de expressão.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês