Chanceler dos EUA declara que Biden não quer ‘conter’ a China

'O que tentamos fazer é manter uma ordem internacional baseada em normas', disse Anthony Blinken
-Publicidade-
Fala foi proferida em encontro do G7
Fala foi proferida em encontro do G7 | Foto: Lan Hongguang/Xinhua

O secretário de Estado dos EUA, Anthony Blinken, confirmou que a política externa do governo Joe Biden não será nada parecida com a do ex-presidente Donald Trump. “Não é o nosso propósito tentar conter a China”, declarou o chanceler norte-americano, na segunda-feira 3, em encontro que reuniu países do G7. “O que tentamos fazer é manter uma ordem internacional baseada em normas, nas quais nossos países investiram durante tantas décadas em benefício, diria eu, não apenas de nossos próprios cidadãos, mas das pessoas de todo mundo, incluindo, certamente, a China”, acrescentou o diplomata.

A posição é a mesma do ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, Dominic Raab. Segundo ele, é necessário encontrar “formas construtivas de trabalhar com a China de maneira sensata e positiva onde for possível, incluindo a mudança climática”. “Queremos que a China assuma o papel que lhe corresponde”, disse Raab, no evento. “A presidência britânica do G7 é uma oportunidade para aglutinar as sociedades democráticas e abertas, além de demonstrar unidade neste momento tão necessário para enfrentar os desafios comuns e ameaças crescentes”, acrescentou o chefe da política externa britânica.

Leia também: “O jogo do gigante”, reportagem publicada na Edição 58 da Revista Oeste

-Publicidade-
Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

4 comentários

  1. Início da queda do império norte-americano. Em breve será mais uma república multicultural de segunda linha, depois de terceira, quarta… Essas coisas sempre começam assim. Conta-se que de início grandes multidões de germanos das mais diversas tribos se aglomeravam nas fronteiras dos impérios romanos do ocidente e oriente (Bizâncio) não conseguiram contê-los e passaram a admiti-los dentro das fronteiras dos dois impérios e aos poucos foram minando os mesmo que finalmente caíram. Não foi da noite para o dia, demoraram décadas, mas caíram. Vemos algo parecido com a fronteira do México, o Trump tentou contê-los e o seu sucessor bunda-mole já cedeu. É só uma questão de tempo.

  2. Política de submissão. Estão tratando a China como “democrática ” e não é. É uma ditadura que vai atropelar esses idiotas que fazem vista grossa para as barbaridades que a China vem cometendo a começar pela Covid.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro