-Publicidade-

Chilenos decidem hoje futuro da Constituição

Carta Magna em vigor foi aprovada no regime do presidente Augusto Pinochet
Foto: Divulgação/Twitter
Foto: Divulgação/Twitter

Carta Magna em vigor foi aprovada no regime do presidente Augusto Pinochet

chilenos decidem hoje futuro
Protestos no Chile, em 2019 | Foto: Divulgação/Twitter

Este domingo, 25, será decisivo para a Constituição do Chile. Isso porque os cidadãos do país decidem se modificam ou não a Carta Magna herdada do regime do presidente Augusto Pinochet (1973-1990). O plebiscito de hoje foi convocado pelo governo de Sebastian Piñera em resposta às manifestações de 2019, lideradas por esquerdistas, e que ressurgiram das cinzas na semana passada.

Os eleitores vão responder a duas perguntas: “Você quer uma nova Constituição?” e “Que tipo de órgão deve redigir a Nova Constituição?”. Conforme a imprensa local, as pesquisas dão uma vitória confortável ao “sim”, com 60% a 75% dos votos. Se aprovada, o novo pacto social será elaborado para, depois, ser submetido a voto popular em meados de 2022.

Quem defende a manutenção da atual Carta Magna garante que ela deu estabilidade econômica ao país. E que alterações podem ser inseridas através de emendas, não sendo necessária uma mudança radical, como propõe o plebiscito deste domingo. Já aqueles que querem uma nova carta afirmam que o texto redigido no governo Pinochet estimula desigualdades sociais.

Leia também: “Ideias, intuição moral e compromisso ideológico”, artigo de Bruno Garschagen publicado na edição n° 31 da Revista Oeste

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 comentários

  1. Sempre analiso a conjuntura MUNDIAL, com foco no que pode ser seguro p o meu PAÍS. Neste contexto, o meu olhar 51% interno, recomenda aos meus amigos chilenos, q APERFEIÇOEM A CARTA. A questão é simples: os homens q estão aí, a nível MUNDIAL, inclua-se o argentino “chico”, o inacertado, ñ têm a mínima capacidade de criar nada de novo salutar, inclusivo, anti domínio COMUNISTA.

  2. Vão acabar com o Chile, se isso prosseguir, igual ocorreu no Brasil, aonde a constituição deveria ajudar, mas só atrapalha, porque foi feita e votada por esquerdistas.

  3. Exatamente Jussara. Tudo dominado. Eu ao longo dos 66, após ACABAR COM O CONLUIO ENTRE OS 3 PODERES, sistematicamente indo às RUAS com filhos e netos, TEMOS Q ACABAR O PROJETO, interrompido p pandemia genocida doriachina. Voltar às RUAS para exigir do congresso q nos trai descaradamente, a PRISÃO em SEGUNDA instância e o FIM do Foro privilegiado e a.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês