-Publicidade-

China censura a BBC

Governo local acusa emissora de TV de "violação de conteúdo"
Logo da emissora BBC World News, que está censurada pelo regime comunista chinês
Logo da emissora BBC World News, que está censurada pelo regime comunista chinês | Foto: Reprodução

O governo da China decidiu censurar a emissora BBC World News. Em comunicado divulgado nesta quinta-feira, 11, o departamento de rádio e televisão chinês informou ter tirado o canal do ar. As justificativas alegadas pelas autoridades do país comunista foram infringir os princípios da verdade e imparcialidade no jornalismo.

Leia mais: “Arábia Saudita solta mulher presa há três anos por defender o direito de dirigir”

No comunicado repercutido originalmente pelo jornal Global Times, publicação controlada pelo Partido Comunista da China, o canal da BBC é acusado de propagar fake news e de produzir material que vise “jogar a China na lama”. Com isso, a emissora foi suspensa do país. As autoridades de Pequim não comentam o período previsto da suspensão — ou se a censura será permanente. Eles apenas falam em “violação de conteúdo.”

Hong Kong

No texto sobre o tema, a publicação do Partido Comunista critica a cobertura feita pela BBC World News em relação aos protestos que ocorreram em Hong Kong no ano passado. Antigo território pertencente ao Reino Unido, onde fica a matriz da BBC, a ilha de Hong Kong foi alvo do governo da China continental nos últimos meses. Nesse sentido, Pequim reclamou da postura adotada pelo canal em favor dos manifestantes.

Retaliação?

A censura contra o canal de TV da BBC na China ocorre dias após o Reino Unido anular a licença para a China Global Television Network operar no país.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês