-Publicidade-

China quer impor novas leis para Hong Kong

A ditadura comunista quer ter mais controle sobre a ex-colônia britânica.

Uma lei de segurança nacional é a resposta de Pequim aos protestos a favor da democracia que acontecem no território desde o ano passado

Vista de Hong Kong, um dos principais centros financeiros do mundo
Vista de Hong Kong, um dos principais centros financeiros do mundo | Foto: Benh LIEU SONG/Flickr

A China deve propor que Hong Kong, um território semiautônomo, possua uma lei de segurança nacional. Isso é uma resposta aos violentos protestos pró-democracia que ocorrem na cidade desde o último ano, os maiores desde que a China assumiu o controle do território em 1997.

De acordo com o jornal South China Morning Post, a lei deve proibir qualquer movimento a favor da independência do território, vetar qualquer forma de interferência estrangeira, terrorismo e qualquer tentativa de revolta na ex-colônia do Reino Unido.

A legislação, que pode ser imposta a Hong Kong pelo Parlamento da China, deve causar grandes mudanças  em uma das grandes metrópoles do mundo, causando mais tensão na relação de Pequim com Washington e aumentando a repressão chinesa, informa a Reuters.

“Se Pequim aprovar essa lei, o quão longe a sociedade civil vai para resistir? Qual o impacto que isso causará em Hong Kong como um centro financeiro internacional?, afirmou o cientista político Ming Sing, da Universidade de Ciência e Tecnologia de Hong Kong.

No último dia 6, o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, afirmou que o território só continuaria recebendo o tratamento especial que garante a cidade como um centro financeiro mundial se continuar podendo provar a sua autonomia.

A fala de Pompeo foi considerada como um aviso ao governo chinês para que não tente aumentar o controle sobre a ex-colônia britânica, com o risco de um forte abalo na economia do território e da própria China.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
Envie-nos a sua opinião, sugestão ou crítica! Fale conosco
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês