China restringe transporte na capital do país

Com 50 casos de infecções por covid-19, as autoridades determinaram o fechamento das estações de metrô de Pequim
-Publicidade-
A segunda maior economia do mundo luta contra o surto de covid-19 desde a primeira onda da pandemia
A segunda maior economia do mundo luta contra o surto de covid-19 desde a primeira onda da pandemia | Foto: Reprodução/Wikimedia Commons

As autoridades da China determinaram o fechamento de dezenas de estações de metrô nesta quarta-feira, 4, em Pequim, na capital do país. Essa é mais uma medida para intensificar as restrições de movimento para conter o surto de covid-19.

Ao todo, 45 estações foram fechadas temporariamente, o que representa 15% da rede de transporte. Outras 160 linhas de ônibus foram suspensas, a maioria está no distrito de Chaoyang, o epicentro do surto de Pequim.

A segunda maior economia do mundo luta contra o surto de covid-19 desde a primeira onda da pandemia, com a maioria dos casos concentrada em Xangai, coração econômico do país, que segue ordens de confinamento há mais de um mês.

-Publicidade-

Nesta quarta-feira, Pequim registrou apenas 50 casos locais de infecções, incluindo assintomáticos, enquanto o balanço diário de Xangai supera 5 mil

Na capital, os complexos residenciais com casos positivos de covid entraram em confinamento, muitos locais turísticos adotaram restrições durante o habitualmente agitado feriado prolongado de 1º de maio, e comer dentro dos restaurantes foi proibido.

China: caos e irritação

Há mais de um mês, a população de Xangai permanece sob um rígido controle. As cenas de caos e irritação com as medidas restritivas circularam nas redes sociais chinesas. Por enquanto, ainda não há uma previsão para flexibilizar as medidas.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.