China volta a ameaçar Taiwan: ‘Medidas drásticas’

Diplomata do Partido Comunista, Ma Xiaoguang destacou que a relação entre os países pode piorar em 2022
-Publicidade-
Ma Xiaoguang é um dos porta-vozes da China
Ma Xiaoguang é um dos porta-vozes da China | Foto: Reprodução/ChinaHoje.Net

A China adotará medida drásticas caso os taiwaneses promovam ações visando à independência, ameaçou Ma Xiaoguang, porta-voz do Escritório de Assuntos de Taiwan, em entrevista coletiva concedida nesta quarta-feira, 29.

“Se as forças separatistas de Taiwan que buscam a independência provocarem, usarem a força ou mesmo romperem qualquer linha vermelha, teremos de adotar medicas drásticas”, disse o representante do Partido Comunista Chinês.

Leia mais: “O dono do mundo”, artigo de Dagomir Marquezi publicado na Edição 88 da Revista Oeste

-Publicidade-

A ilha semiautônoma tornou-se fator central das tensões entre China e Estados Unidos. Os chineses entendem que os norte-americanos não devem interferir em assuntos domésticos, mas os norte-americanos são apoiadores de Taiwan e fornecem armamentos a seu Exército.

De acordo com Ma, as relações entre os países podem piorar nos próximos meses. “No ano que vem, a situação do Estreito de Taiwan se tornará mais complexa e grave”, afirmou.

Conflito

A China reivindica Taiwan, país governado democraticamente, como seu próprio território. Nos últimos dois anos, o Partido Comunista Chinês reforçou a pressão militar e diplomática sobre a ilha, o que causou revolta na população local e preocupações nos Estados Unidos.

O governo derrotado da República da China fugiu para Taiwan em 1949, depois de perder a guerra civil para os comunistas. Naquela época, os aliados de Mao Tsé-Tung estabeleceram a República Popular da China.

Leia também: “O jogo do gigante”, reportagem de Cristyan Costa publicada na Edição 58 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

  1. Esses comunas estão é de olho nas fábricas de semicondutores taiwanesas e isso já está refletindo no fornecimento de chips até para a indústria automotiva em todo o mundo. A meu ver, o maior motivo é esse, o resto é só politicagem.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.