Cientistas descobrem os fatores que prolongam sintomas de covid

Para os pesquisadores, as descobertas podem ajudar na adoção de estratégias de tratamento para esses pacientes
-Publicidade-
Registro do momento exato em que uma célula é infectada pelo novo coronavírus (pontos escuros)
Registro do momento exato em que uma célula é infectada pelo novo coronavírus (pontos escuros) | Foto: Divulgação/Fiocruz

Os cientistas identificaram os fatores biológicos que podem indicar os riscos de uma pessoa desenvolver a chamada “covid longa” — quando há persistência dos sintomas de covid que podem perdurar por meses.

O estudo foi publicado na segunda-feira 24 na revista científica Cell.

Entre os fatores encontrados estão a presença de autoanticorpos (anticorpos que atacam os próprios tecidos e órgãos) e a reativação do vírus Epstein-Barr — da família da herpes.

-Publicidade-

Os cientistas acompanharam 309 pacientes desde o diagnóstico até a recuperação, dois ou três meses depois, e os compararam com pessoas saudáveis.

Após três meses, mais da metade relatou fadiga e um quarto relatou tosse persistente. Outros tiveram sintomas gastrointestinais.

Os resultados mostram, portanto, que uma reativação do vírus Epstein-Barr (que geralmente fica inativo no corpo), fragmentos circulantes de SARS-CoV-2 e a presença de autoanticorpos são fatores que podem aumentar o risco para covid longa.

Os cientistas também descobriram que pacientes com sintomas respiratórios tinham níveis baixos do hormônio cortisol.

Segundo o estudo, há ainda uma correlação entre diabetes tipo 2 e tosse. Além disso, pacientes com doença cardíaca ou tosse pré-existente tinham tendência a apresentar perda de olfato ou paladar.

Para os pesquisadores, as descobertas podem ajudar na adoção de estratégias de tratamento nesses pacientes.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

4 comentários Ver comentários

  1. À Revista Oeste, meus agradecimentos pelo respeito demonstrado à ciência e seus conceitos básicos. Muito obrigado. Sou pesquisador clínico, e ando cansado das obviedades e principalmente da total recusa de aceitação das obviedades.

  2. O consórcio do vírus e os apaixonados por picadinha não estão gostando dessa conversa de tratamento. O que funciona mesmo é a picadinha, talvez umas quatro doses por mês.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.