Com tiros para o alto, Talibã dispersa manifestação de mulheres no Afeganistão

Protesto é contra a proibição da participação feminina na Universidade de Cabul
-Publicidade-
Mulheres afegãs são impedidas de protestar no Afeganistão
Mulheres afegãs são impedidas de protestar no Afeganistão | Foto: Reprodução/Redes sociais

Terroristas do grupo fundamentalista islâmico Talibã interromperam nesta quinta-feira, 30, uma manifestação de seis afegãs em Cabul, capital do Afeganistão.

Na terça-feira 28, Mohammad Ashraf, o novo reitor da Universidade de Cabul, proibiu a participação de mulheres e professoras nos cursos da instituição. “Enquanto não houver ambiente realmente islâmico para todos, não será permitido a mulher alguma vir à universidade ou trabalhar. Islã em primeiro lugar”, anunciara no Twitter.

Leia mais: “O fiasco de Joe Biden”, artigo de Ana Paula Henkel publicado na Edição 74 da Revista Oeste

-Publicidade-

Depois das declarações de Ashraf, o Movimento Espontâneo de Mulheres Ativistas no Afeganistão convocou as manifestações na capital afegã.

Três mulheres, de véu e máscara, exibiam uma faixa com a mensagem “Não politizem a educação!”, em inglês e em dari, a língua persa afegã, em frente de uma escola de ensino médio para meninas.

Quando outras três mulheres se juntaram ao grupo, os talibãs chegaram ao local e deram tiros para o alto. Por isso, as manifestantes se refugiaram dentro da escola. Não há registro de mortes.

Leia também: “As mulheres invisíveis do Afeganistão”, artigo de Ana Paula Henkel publicado na Edição 76 da Revista Oeste

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.