Comunistas não fazem parte do Parlamento tcheco pela 1ª vez em 76 anos

KSCM é o herdeiro político do grupo que conduziu a ditadura marxista na antiga Tchecoslováquia
-Publicidade-
O ex-líder do KSCM Vojtech Filip
O ex-líder do KSCM Vojtech Filip | Foto: Reprodução/Redes sociais

Na sessão inaugural para a nova legislatura do Parlamento tcheco nesta segunda-feira, 8, não havia nenhum deputado que pertença ao Partido Comunista. Foi a primeira vez que isso ocorreu em 76 anos.

Os membros do Partido Comunista da Boêmia e Morávia (KSCM, na sigla em tcheco) saíram completamente do Parlamento depois de não conseguir obter nenhuma cadeira para a Câmara Baixa nas eleições deste ano. O último assento da legenda na Câmara Alta, equivalente ao Senado, foi perdido em 2018. A sigla é herdeira política do grupo que conduziu a ditadura marxista na antiga Tchecoslováquia — país que se desfez no começo da década de 1990, dando origem à República Tcheca e à Eslováquia.

-Publicidade-

“O fracasso [eleitoral] do KSCM significa que, pela primeira vez na história moderna, o Partido Comunista não fará parte da democracia parlamentar na República Tcheca”, disse Vojtech Filip, ex-líder do KSCM, a um jornal de esquerda local. Filip deixou o comando da sigla depois da derrota.

A perda de influência na alta cúpula da política tcheca ocorre no mesmo ano que marca o centenário de fundação do primeiro partido comunista da extinta Tchecoslováquia.

Em entrevista à CNN, Marek Benda, deputado pelo Partido Cívico Democrático e o mais antigo membro do Parlamento tcheco, disse que a saída do KSCM foi um “grande sucesso”. “Especialmente porque aconteceu de forma democrática, eles fracassaram por conta própria”, acrescentou.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.