Conselho de Segurança da ONU pede cessar-fogo na Etiópia

Países-membros querem que ambos os lados encerrem hostilidades no conflito que já dura um ano no norte do país
-Publicidade-
O conflito desencadeou uma grande crise humanitária
O conflito desencadeou uma grande crise humanitária | Foto: Amanuel Sileshi/AFP

O Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU) expressou sérias preocupações com a expansão do conflito na Etiópia e os impactos na situação humanitária, bem como na estabilidade do país e da região.

Os membros da organização induziram as partes a “encerrar as hostilidades e negociar um cessar-fogo duradouro”, segundo o comunicado divulgado na sexta-feira 5. De acordo com a ONU, cerca de 20 milhões de pessoas, vítimas do conflito, precisam de ajuda humanitária.

O conflito

-Publicidade-

O governo está em guerra há um ano no norte do país contra os rebeldes da Frente Popular de Libertação de Tigré. A ofensiva se converteu em uma sangrenta guerra civil com abusos das duas partes envolvidas.

Nos últimos meses, os rebeldes têm avançado para além da sua região, caminhando inclusive para a capital, segundo fontes locais.

Por causa do aumento da tensão, o primeiro-ministro Abiy Ahmed decretou um estado de emergência no país e pediu que os etíopes se preparem para “tempos difíceis”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

  1. Quem se importa com esses africanos? Desafio qualquer um que a maior preocupação deles é com os refugiados que um conflito desse pode gerar.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.