Copa do Mundo: jornalista é ameaçado durante transmissão no Catar

A reportagem foi interrompida por três agentes de segurança

A Oeste depende dos assinantes. Assine!

-Publicidade-
O jornalista Rasmus Tantholdt mostrou a credencial ao agente de segurança do país
O jornalista Rasmus Tantholdt mostrou a credencial ao agente de segurança do país | Foto: Reprodução/Redes sociais

O jornalista dinamarquês Rasmus Tantholdt, que está no Catar para a transmissão da Copa do Mundo, foi ameaçado por seguranças do país durante uma entrada ao vivo para a emissora TV2. A reportagem foi paralisada por três agentes de segurança.

Os oficiais se aproximaram da câmera do repórter, tampando a lente e impediram as imagens. Além disso, ameaçaram destruir o equipamento da equipe dinamarquesa.

Tantholdt apresentou as credenciais para a Copa do Mundo e a licença para filmar após o incidente, mas os agentes locais exigiram que o sinal fosse interrompido, sem maiores explicações de imediato.

-Publicidade-

“Estamos ao vivo para a TV dinamarquesa”, afirmou o repórter, ao ser abordado. “Vocês convidaram o mundo inteiro para cá. Por qual motivo não podemos filmar? É um local público”, continuou o jornalista. A entrada ao vivo acontecia em frente a um dos hotéis do país, em Doha.

“Aqui está a autorização. Podemos gravar em qualquer lugar que quisermos”, disse Tantholdt. Mesmo assim, os oficiais insistiram em interromper as gravações, inclusive com ameaças de prisão. “Você quer quebrar a câmera? Você pode fazer isso. Vocês estão nos ameaçando.”

O jornalista afirmou que recebeu pedidos de desculpas formais do Comitê Supremo do Catar horas mais tarde.

Ao longo da organização para a Copa do Mundo, o país sofreu críticas da imprensa e de órgãos internacionais sobre as condições dos direitos humanos no país-sede. O inaugural da Copa está marcado para 20 de novembro.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

7 comentários Ver comentários

  1. É um método muito antigo e comum. Todos os outros jornalistas ficarão amedrontados. Jack London tavez dissesse que é a Lei do Porrete e da Câmera Desligada.

  2. De fato estou mais preocupado com os 11 que jogam fora das quatro linhas aqui no Brasil do que os onze que jogarão dentro das quatro linhas lá no Catar!!!

  3. Vou boicotar esta copa do mundo. Quero que se dane a seleção do Titi.
    Estou mais preocupado com o futuro do país do que 11 marmanjos correndo atrás de uma bola.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.