6 pessoas sofrem ‘reação alérgica grave’ após vacinação nos EUA

Informação é do Centro para Controle e Prevenção de Doenças
-Publicidade-
Foto: Divulgação/Pfizer
Foto: Divulgação/Pfizer

Informação é do Centro para Controle e Prevenção de Doenças

reação alérgica grave - covid-19 - estados unidos
Estados Unidos iniciou vacinação contra a covid-19 | Foto: Divulgação/Pfizer
-Publicidade-

A vacinação contra o novo coronavírus nos Estados Unidos apresenta casos de efeitos adversos após menos de uma semana do ínicio de sua aplicação. No sábado 19, o Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) confirmou o fato de seis pessoas apresentarem “reação alérgica grave” após o recebimento do imunizante produzido pela Pfizer em parceria com a BioNTech.

Leia mais: “Covid-19: Agência dos EUA aprova uso emergencial de vacina”

Sem fornecer muitas informações a respeito, o representante do CDC Tom Clark afirmou que alguns casos são referentes a pessoas no Alasca, mas há registros de problemas também em outros Estados norte-americanos. Devido à “reação alérgica grave”, ele confirmou a internação de algumas pessoas que foram imunizadas contra a covid-19. Segundo divulgou, todos são menores de 65 anos — ou seja, fora do grupo de risco da doença pelo fator idade.

Diante do problema com seis pessoas que não receberão a segunda dose do imunizante, o CDC destacou os números da vacinação contra a covid-19 nos Estados Unidos. De acordo com os dados oficiais, mais de 112 mil pessoas tinham sido vacinadas até a noite de ontem. Desse grupo, cerca de 3 mil apresentaram efeitos considerados leves após a imunização.

Vacinação no Reino Unido

Os Estados Unidos não são o primeiro país a confirmar casos adversos à vacina desenvolvida por Pfizer e BioNTech. Primeira nação do mundo a começar a imunizar parte de sua população contra o novo coronavírus a partir do projeto mencionado, o Reino Unido sugeriu de forma preventiva para pessoas com algum tipo de alergia não tomarem a vacina.

________________

Acompanhe a Revista Oeste nas redes sociais. Siga-nos no Twitter, curta a nossa página no Facebook e acompanhe nossas postagens no Instagram.

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

10 comments

  1. Eu assisti no canal do youtuber Caio, o Alemão; que na Austrália, após algumas vacinações, várias pessoas apresentaram positivas para o vírus HIV. O resultado disso é que o governo australiano suspendeu as vacinações após adquirir 50 milhões de doses. Devo dizer que não se trata da vacina chinesa SinoVac, mas cá entre nós e que a Dórinha não nos escute, esta deve ser muito pior.

    1. A vacina é o caminho.
      Tivemos que aprender a lidar com a doença com a pouca base científica que dispúnhamos até então.
      Com a vacina chegando, o aprendizado continua…..

      1. A vacina é integrante do plano mundial de domínio da população.
        Não existe preocupação com vidas, mas em executar os planos da ONU e sua Agenda 2030.

    2. Olhei o vídeo também. Seria interessante se a Oeste desse uma aprofundada no assunto e, caso seja relevante, apresentasse um artigo sobre o fato. Mas muito interessante o vídeo. Obrigado pela dica.

  2. Vamos aos fatos oficiais: 1- O imunizante, ainda em fase de teste, fez que alguns voluntários registrassem resultados falso-positivos para HIV e não – como foi comentado- que “apresentaram positivas para o vírus HIV.” 2- O imunizante produzido pela Pfizer em parceria com a BioNTech NÃO foi o utilizado na Austrália que na verdade utilizou o imunizante que seria produzido pela Universidade de Queensland, que fica na própria Austrália.3-De acordo com Scott Morrison, primeiro-ministro da Austrália, as 51 milhões de doses QEU SERIAM COMPRADAS DO CONSÓRCIO AUSTRALIANO serão agora ADQUIRIDAS nos pedidos de doses feitos para as farmacêuticas AstraZeneca e Novavax.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site