-Publicidade-

Covid-19: primeira leva de ‘vacinas do Butantan’ virá da China

O governo paulista também encomendou a matéria-prima para a fabricação de outras 40 milhões de doses
Coronavac: no Brasil, apenas São Paulo comprou | Foto: Governo do Estado de São Paulo
Coronavac: no Brasil, apenas São Paulo comprou | Foto: Governo do Estado de São Paulo | coronavac, vacina, China, governo do estado de são paulo, joão doria, testes, coronavírus, covid-19

O governo paulista também encomendou a matéria-prima para a fabricação de outras 40 milhões de doses

ministério da saúde, coronavac, vacina, covid-19, eduardo pazuello
Embalagem da Coronavac | Foto: Divulgação/Governo do Estado de são Paulo

A, CoronaVAc, vacina contra a covid-19, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac, está sendo testada no Brasil em parceria com o Instituto Butantan. A instituição brasileira fabricará o imunizante no país, mas a primeira leva dele virá da China. Serão 6 milhões de doses que devem desembarcar no aeroporto de Guarulhos (SP) na segunda quinzena de novembro.

Segundo a revista Época, o governo paulista também encomendou a matéria-prima para a fabricação de outras 40 milhões de doses. Segundo Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, a chegada deste material é uma prioridade absoluta. “Nossa prioridade absoluta é que essa matéria-prima chegue ao Brasil o quanto antes para que a vacina comece a ser produzida”, disse.

Leia também “A verdade sobre a CoronaVac”, matéria de capa da edição 32 da revista Oeste

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

5 comentários

  1. Esta será a grande oportunidade de vermos na prática, a quantidade de idiotas que existem neste país. Esse negócio dessas vacinas, penso eu, não passa de uma questão de caráter veterinário. Não se trata de imunidade de rebanho e sim, de qual rebanho (gado) será “imunizado”. O produtor rural é obrigado a declarar através de um certificado de vacinação que o seu gado quadrúpede foi adequadamente vacinado. Isso será estendido para o gado bípede também. Vejam só onde chegamos. Não tomarei essa vacina, para isso terão que me pegar no laço, esse gado aqui é bravo.

      1. Já você, Zézim é tão mansim, não é? Vai tomar no bumbum, queridinha?

      2. E você é de fato um escravo do pênis do dragão infernal. Pega essa vacina e enfia no khu!

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês