OMS pede fim de acordos bilaterais entre países e fabricantes de vacinas

Diretor da organização diz que o mundo todo precisa ter acesso à imunização “de maneira equitativa”
-Publicidade-
Diretor da OMS, Tedros Adhanom Gabreyesus é contra bilateralismo
Diretor da OMS, Tedros Adhanom Gabreyesus é contra bilateralismo | Foto: Reprodução/Flickr

O diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Gabreyesus, pediu nesta sexta-feira, 8, que os países deixem de fazer acordos bilaterais com as empresas fabricantes das vacinas contra o novo coronavírus, para que o mundo todo consiga ter acesso à imunização “de maneira equitativa”.

A declaração foi dada pelo executivo durante coletiva de imprensa e se destina principalmente às nações que fazem parte da aliança Covax, um mecanismo da ONU para facilitar a aquisição de vacinas.

Segundo Adhanom, tais acordos “potencialmente aumentam o preço para todos e significam que as pessoas de alto risco nos países mais pobres e marginalizados não recebem a vacina”.

-Publicidade-

“No futuro, quero ver os fabricantes priorizando o fornecimento e a implementação por meio da Covax”, disse o diretor da OMS.

Leia também: “Coronavírus: China barra investigadores da OMS”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.